Uma Homenagem ao Dia de Cosme e Damião

Ouvir episódio

Hoje, por meio desse episódio, eu gostaria de fazer uma singela homenagem aos nossos queridos Erês, espíritos iluminados que se manifestam na Umbanda, sustentados pelo poder do Orixá Ibeji. Espero que vocês gostem.

Transcrição do Episódio

Olá meus irmãos, minhas irmãs! Sejam bem vindos a mais um episódio podcast alma de poeta! Estamos iniciando mais uma semana! Que seja uma semana abençoada, uma semana de muito amor, uma semana iluminada para todos nós! E essa semana eu estou me sentindo radiante! No último sábado nós fizemos uma festinha para os nossos Erês lá no terreirinho. E foi uma energia maravilhosa! E para melhorar ainda mais, a semana começa justamente com o dia deles! Nessa segunda feira, dia 27 de setembro, nós estamos comemorando o dia de São Cosme e São Damião, os santos padroeiros da Ibejada.

Hoje eu estou gravando esse episódio aqui apenas para homenagear essa linha de trabalho fantástica que existe na Umbanda, que através da sua pureza, da sua simplicidade, da sua inocência, cuida dos nossos caminhos, protege a nossa família e nos fortalece com os sentimentos mais elevados que existem!

Salve a linha dos Erês, salve essa falange linda que está sempre presente nas nossas vida!

[Ponto Cantado – Salve os Erês]

Salve a linha dos Erês, na sua força, na sua Luz. Salve São Cosme e São Damião, Salve Crispim e Crispiniano, salve Ibeji! Que essa luz rosa e azul que emana do nosso Pai Criador possa envolver a todas as crianças desse mundo! Que o Poder de Ibeji e a força dos Erês possam nos trazer harmonia, possam nos trazer amor!

Saravá a todas as crianças, saravá a Cosme e Damião! Saravá Doum!!!

[Ponto Cantado – Damião, cadê Doum?]

Cadê Doum, Damião! Chama o Doum também para brincar! Eu dirigo o meu pensamento a toda essa espiritualidade de luz que se manifesta com esse arquétipo infantil. A minha gratidão a você Pedrinho, que com o seu carinho e o seu amor me conduz nessa vida! Minha gratidão também a todas as falanges de Erês que se manifestam nos terreiros de Umbanda! Joãozinho, Mariazinha, Aninha, Zezinho, Chiquinho, Flechinha, Estrelinha, Caboclos Mirins, Julinha, Pingo D’Água, Cristal, Lírio Branco, Juquinha, Pipoca, Ritinha e tantos outros espíritos de luz que se dedicam a semear a semente bondosa do nosso Pai Olorum dentro dos corações de cada um de nós!

[Ponto Cantado – Onde está o Erê?]

Sabe onde estão todos esses Erês? Eles estão dentro de nós! Eles estão no nosso íntimo, esperando que a gente não deixe morrer a criança que existe dentro das nossas almas! “Oh Erê, Oh Erê… Onde está o Erê? Oh Erê, Oh Erê… Onde está o Erê?”.

Tem gente que tem uma facilidade muito grande de se conectar com o seu Erê! As pessoas que tem Erê como guia de frente, geralmente são espontâneas, alegres, divertidas! Muito provavelmente você já deve ter conhecido alguém assim na sua vida! É aquela pessoa que dá risada à toa, acha tudo engraçado, não vê maldade em ninguém! Esse é o Erê que nós precisamos despertar dentro da gente!

Infelizmente eu não sou assim! Eu tive uma dificuldade muito grande de me conectar com o Pedrinho. Talvez pela minha característica… eu tive que me disciplinar muito para conseguir sentir a vibração do Erê que me guia. E que vibração linda, gente! Que alegria contagiante!

Mas vamos lá! Hoje eu quero cantar ponto de Erê o dia inteiro!!! Mamãe Iemanjá, por acaso a Senhora viu o Pai Ogum por aí?

[Ponto Cantado – Iemanjá, cadê Ogum?]

Que ponto lindo esse, né gente? Mistura Orixá com Rio Jordão, Com João Batista! Esse ponto é a cara da Umbanda! Oh, Evandro… Você não vai falar nada pra gente hoje? Você não vai explicar nada? Vai ficar só cantando ponto o episódio todo? Sim!!! Essa é a minha intenção!!! Esse é o jeito que eu encontrei de homenagear as crianças e tentar compartilhar com vocês todo o carinho que eu sinto por eles!

[Ponto Cantado – Eu quero doce, eu quero bala!]

É gente!!! Erê também é bagunça! Quem aqui já participou de uma festa de Erê, levanta a mão! Se a gente deixar o trem correr solto, eles botam a casa de ponta cabeça! Porque as crianças tem muito disso, né? Eles trazem a pureza, trazem a inocência, mas também adoram fazer uma traquinagem! É por isso que, em muitas giras de Erê, descem alguns pretos-velhos juntos, para segurar um pouco aquele ímpeto infantil que eles jogam em cima médium!

E o que a gente costuma oferecer para os Erês nas festas? O que será?

[Ponto cantado – Titia me deu cocada, titio me deu guaraná.]

Mas não é só cocada, guaraná e caruru, não! A gente oferece tudo o que a criançada gosta! Bolo, pirulito, pipoca, algodão-doce, suco… Geralmente são alimentos que contém muito açúcar. Porque esse é o elemento que os Erês trabalham, né? Eles trabalham o açúcar para manipular as energias! O que mais que costuma ter de guloseimas nas festinhas de Erê? Doce de Abóbora, cocada, manjar… Olha só outro ponto falando sobre isso:

[Ponto cantado – Na Bahia tem um coco, coco que faz a cocada.]

E os alimentos que a gente costuma levar nas festinhas de Erê são os mesmos alimentos que a gente costuma oferendar para eles, no dia-a-dia. Então, por exemplo, chega um dia de domingo (no meu caso, eu gosto de fazer no domingo, né, mas tem gente que gosta de fazer no sábado e está tudo bem), eu acendo uma vela para eles, eu coloco algum docinho que eu tenho em casa como oferenda. Às vezes eu coloco um pouquinho de suco, às vezes eu coloco um pouco de água com açúcar, às vezes eu coloco um pouquinho de refrigerante… o que eu tiver em casa para o meu consumo. Não precisa ser nada especial. Daí faço as minhas preces, tento conectar o meu mental com o guia espiritual que me acompanha e agradeço!

[Ponto cantado – Lá no céu tem três estrelas.]

Vocês repararam nesse ponto? Fala que lá no céu tem três estrelas. Eu já falei para vocês, né? Quando a gente conversou sobre o Orixá Ibeji, do por que que existe Cosme, Damião e Doum. Não são dois, são três! Vocês lembram disso? Se vocês ainda não ouviram aqueles dois episódios que eu falo das crianças e depois do Orixá Ibeji, dá um play lá que vocês vão entender muito melhor esse assunto!

E na Umbanda, Ibeji está sempre muito relacionado com as Iabás, né? Os Orixás femininos! Principalmente com Iemanjá. Porque Iemanjá é considerada a grande mãe! O trono divino da geração! E nada mais natural do que as crianças terem um relacionamento íntimo com a grande Mãe que gerou a todos!

[Ponto cantado – Vem, vem, vem.]

Eu quero pedir licença para vocês agora para fazer uma prece em homenagem a Linha dos Erês. Estou fechando aqui os meus olhos e eu peço que todos vocês elevem o pensamento a Deus, para que a gente possa sintonizar com a vibração elevada que os nossos queridos Erês carregam…

“São Cosme e São Damião, energia resplandecente do amor de Deus, derrama sobre nós toda a inocência e simplicidade de que são portadoras essas crianças. Que a alegria de uma consciência tranquila nos invada e que essa serenidade repouse, não apenas na nossa mente, mas também em nossos corações.

Conserva, Senhor, o nosso coração puro e sincero, para que nós possamos absorver as palavras de Jesus quando ele disse: “Deixai vir a mim os pequeninos, todos aqueles que são puros de coração, porque deles é o Reino dos Céus”.

Permita, Senhor, que o trabalho iluminado e incansável desses Erês possam nos proporcionar alívio para os nossos problemas. Que a energia resplandecente dessas crianças possam trazer harmonia para as nossas vidas e para os nossos lares!

Salve essa força pura e verdadeira que reluz no azul do céu! Que faz desabrochar a flor da nossa existência, que faz perfumar a nossa caminhada! Que a força dos Erês tragam para o nosso lar a paz e a esperança. Que essa espiritualidade sublime possa cuidar das nossas crianças, assim como também possa cuidar do nosso espírito. Porque, aos olhos de Deus, nós ainda somos todos crianças! Que o Poder de Ibeji nos sirva de proteção, de consolo e de apoio nas horas difíceis!

Eu peço que aceitem essa minha singela oração, meus queridos guias espirituais e levem esse meu sentimento de gratidão junto ao nosso Pai Supremo, que é puro Amor e Bondade! Para que ele abençoe essa falange abnegada das crianças que nos amparam do plano espiritual!

Que assim seja, em nome de Olorum, de Oxalá e de toda a espiritualidade de luz que nos acompanha!

Espero que vocês tenham gostado do episódio de hoje, dessa singela homenagem que eu fiz para os Erês. E eu desejo que essa semana possa ser abençoada para todos vocês com muita alegria e harmonia! Um grande abraço e até o nosso próximo encontro! Onibejada!!!

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 57
Nenhum número escolhido ainda