Quer ter mediunidade? Tem certeza?

Ouvir episódio

Nesse episódio, nós vamos falar sobre o fascínio que as pessoas tem com o desenvolvimento da mediunidade e as dificuldades que aparecem quando o médium não está preparado para desenvolvê-la.

Transcrição do Episódio

Oi oi, gente! Tudo bem? Vamos dar início aqui a mais um episódio? Bem-vindos ao nosso podcast Alma de Poeta. Este é um canal que fala sobre Espiritualidade, sobre Umbanda, Kardecismo e qualquer assunto que venha contribuir para o nosso crescimento interior, para o despertar da nossa consciência. Meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e hoje a gente vai falar sobre um assunto que desperta o interesse de muita gente. A gente vai conversar um pouquinho sobre mediunidade.

Quem nunca se perguntou ou pelo menos conhece alguém que já fez essa indagação: será que eu tenho mediunidade? Gente, posso falar uma coisa para vocês? Eu, sinceramente, não entendo esse fascínio que as pessoas tem em querer desenvolver a mediunidade. Sei lá, parece que as pessoas veem a mediunidade como um dom ou como algo glamoroso. Gente, não é nada disso. Esse negócio de ter uma mediunidade ostensiva é perturbador, é complicado.

Muitas vezes, pessoas enlouquecem por causa disso, ou são diagnosticadas como loucas, como esquizofrênicas . Vai num hospício e você vai ver que muita gente que está lá, não tem loucura nenhuma. O que eles tem é mediunidade. Só que as pessoas veem só a parte bonita da coisa, né? De estar lá no centro espírita, recebendo seus mentores de luz, passando mensagens maravilhosas; ou estar no terreiro de umbanda recebendo o Caboclo, recebendo o preto-velho, passando receitas de banhos de ervas, de firmezas.

Só que o pessoal não enxerga a outra parte. O que acontece quando o médium não está no centro espírita, não está no terreiro. Quando você está vivendo o seu dia-a-dia. Daí você vai perceber o peso da mediunidade na sua vida. Porque a mediunidade não é uma coisa que você desliga e liga a hora que quer. Quem tem uma mediunidade, como eu posso dizer para vocês… cármica. Vai ser médium 24 horas por dia. Depois que o seu canal mediúnico é aberto, o intercâmbio, o fluxo de informações com o mundo espiritual é contínuo. A gente não tem muito controle sobre isso.

Vocês acham que é legal vocês acordarem, duas ou três horas da manhã, com um espírito te chamando do lado da cama? E muitas vezes, não é o seu guia espiritual que está chamando. Às vezes é um espírito que está pedindo ajuda, que quer algum tipo de orientação. Às vezes é um espírito, muitas vezes que quer apenas te perturbar. Os kardecistas chamam de espíritos zombeteiros.

Vocês acham que é legal ficar ouvindo uma vozinha dentro do ouvido enquanto vocês fazem as coisas do seu dia-a-dia? Ou então, as restrições que a espiritualidade te impõe, depois que você abre a sua mediunidade? Você não vai poder beber a hora que você quer (se bem que eu não gosto muito de bebida mesmo, né? Então, essa vontade eu não passo). Você não vai poder frequentar determinados ambientes. E quando você for, por teimosia, você sabe que vai passar mal.

Essa é a parte da mediunidade que ninguém conta. E eu não vejo glamour nenhum nisso.

Tem uma pessoa muito, muito querida na minha vida. E ela fala assim: “é… vê as pinga que eu tomo, mas não vê os tombo que eu levo”. Quando a gente fala de mediunidade, é mais ou menos isso. Vocês veem a parte boa, mas não sabem das consequências.

Porque olha, gente… quando vocês abrem a mediunidade, vocês não vão ver só coisas bonitas, vocês não vão ouvir só coisas boas. Dependendo do seu estado mental, e isso é importante que fique bem destacado, dependendo do seu estado mental, você vai sintonizar com Entidades desencarnadas em diferentes graus de evolução. No dia em que você estiver com o coração tranquilo, com o pensamento sereno, você vai ver, vai sentir, vai ouvir entidades angelicais ao seu lado. Só que o dia em que você estiver virado no giraia, daí também você vai ver o que é bom para tosse. Você vai ver espíritos deformados, agressivos, você vai ouvir insultos, mensagens ameaçadoras.

Seria muito bom se a agente pudesse controlar isso, tipo, sintonizar só uma frequência. Só que a gente ainda está num estágio evolutivo em que os nossos pensamentos e as nossas emoções são muito inconstantes. Uma hora a gente está bem, daqui a pouco a gente está irritado com alguma coisa. Uma hora a gente está agradecendo a Deus, outra hora a gente está xingando o vizinho que está fazendo barulho. Não é verdade? Quem de nós aqui consegue manter o pensamento equilibrado 24 horas por dia, 7 dias por semana? Eu duvido que tenha alguém que consiga fazer isso. Uma hora a gente está feliz, uma hora a gente está triste ou preocupado. Isso faz parte da nossa vida. E a mediunidade acaba sendo atingida por essa nossa inconstância de pensamentos e sentimentos.

Sabe, pessoal, eu vou contar uma coisa para vocês. E que isso sirva de alerta. Eu não sei se vocês tem ou não mediunidade ostensiva. Quando eu falo de mediunidade ostensiva, eu estou me referindo àquela mediunidade de trabalho, que vocês deveriam estar direcionando para ajudar as pessoas. Então, normalmente, os médiuns mais ostensivos costumam mudar de humor muito rapidamente. E isso se dá justamente pela facilidade de percepção que eles tem do mundo espiritual. Essas pessoas são muito facilmente influenciadas pelo plano espiritual. E quando eu falo plano espiritual, eu estou me referindo tanto ao plano superior quanto ao inferior também.

E olha gente, eu demorei muito, muito tempo mesmo para ter essa percepção. Eu já magoei muita gente por causa das minhas mudanças de humor repentinas. Eu já magoei pessoas queridas, pessoas que me são muito caras ao coração. Porque muitas vezes, naqueles momentos de irritação ou de tristeza, a gente acaba até esquecendo que podemos estar sendo manipulados pelo plano espiritual.

A partir do momento que a gente tem essa consciência. A gente começa a ter um controle maior sobre as nossas atitudes. Isso que eu estou falando para vocês, serve principalmente para mim, porque eu ainda tenho muito o que melhorar nesse aspecto. As pessoas que eu amo que o digam.

Mas o que eu quero dizer é o seguinte: vocês querem desenvolver a sua mediunidade? Legal! Eu dou o maior apoio! Mas ao mesmo tempo que vocês tentam desenvolver a mediunidade, comecem também a se conhecer melhor. Porque dessa forma, vocês vão conseguir identificar com mais clareza os seus pensamentos, as suas próprias emoções daqueles sentimentos ou pensamentos que possam estar vindos de uma fonte exterior.

Tem uma poesia do Pai Antônio que fala sobre mediunidade. Ela diz assim:

Mediunidade não é privilégio

Nem é castigo,

Mas necessidade de tomar o remédio

Para curar o espírito.

Mediunidade não é um dom

Nem maldição

Mas oportunidade de se tornar bom

Suportando a provação

Mediunidade não é sacrifício

Nem ostentação

Mas pura felicidade

Para alguns raros

Uma missão.

E para muitos

Expiação.

Se tens mediunidade

Auxilia o teu irmão

Sempre com humildade

Procure estender a mão.

Praticando a caridade

Teu esforço não será em vão.

Quando a gente fala de mediunidade ostensiva, elas podem acontecer em duas situações: ou a pessoa nasce na Terra com uma mediunidade missionária (que é raríssimo de acontecer). Ou ela nasce com uma mediunidade de expiação. Que é o caso de quase a totalidade dos médiuns que existem hoje em dia.

E olha só, os médiuns que tem mediunidade missionária, eles não ficam se vangloriando da mediunidade que tem. A gente pode citar, aqui no Brasil, como o maior expoente de uma mediunidade verdadeiramente missionária, o nosso querido Chico Xavier. Esse sim tinha uma mediunidade missionária. O Zé Arigó também foi outro com uma mediunidade missionária.

Agora, eu? Como o baiano Tibério costuma falar para mim: tu é mais lascado do que eu, cabra da peste!

Esse assunto de mediunidade é tão complexo, tão extenso, que eu acho que precisaria de uma temporada inteirinha de episódios para poder abordar o tema de uma maneira satisfatória. Porque existem vários tipos de mediunidade, em graduações diferentes. Existe a clarividência (capacidade de ver espíritos), a clariaudiência (capacidade de ouví-los), existe a mediunidade de incorporação, quando o espírito se acopla ao seu corpo físico e consegue movimentá-lo, existe a psicofonia (quando o espírito utiliza apenas as cordas vocais para se comunicar), existe a psicografia (quando o espírito escreve através do médium).

Nesse caso, a psicografia pode ser intuitiva ou mecânica. A mecânica é mais rara de acontecer. A mecânica é quando a mão do médium adormece e o espírito consegue movimentá-la livremente. Nesses casos, a mão continua escrevendo, mesmo que o médium esteja conversando ou dormindo ou com a atenção voltada para outra coisa. Já a psicografia intuitiva é diferente, o médium precisa estar com o seu pensamento focado nas ideias que recebe, nas mensagens que são transmitidas diretamente para o seu campo mental.

O kardecismo usa muito a mediunidade intuitiva e a psicofonia para receber mensagens do plano espiritual. Já a Umbanda usa principalmente a mediunidade de incorporação. Até por causa da natureza dos atendimentos que são dados nas giras, né? Existe um contato mais direto entre a Entidade e o consulente.

A gente poderia citar ainda vários outros tipos de mediunidade. Existe a mediunidade de cura, a mediunidade de transporte, de fenômenos diretos e, por aí vai. Como eu disse, a gente precisaria de muitos episódios para conversar sobre cada uma delas.

Existem duas maneiras de se desenvolver a mediunidade. Se você já não tem uma mediunidade expiatória, uma mediunidade cármica, você pode desenvolver ela de duas formas. A primeira, que é a maneira errada, totalmente desaconselhada, é forçando a eclosão da sua mediunidade, seja por rituais, substâncias psicotrópicas, doenças… Claro que no caso de doenças, não tem muito o que se fazer, né? Às vezes a doença é até o meio necessário para que a mediunidade aflore no momento certo. Agora, não vale a pena usar drogas ou substâncias alucinógenas para tentar abrir a sua mediunidade. E por que eu falo isso? Porque você vai abrir a sua mediunidade sem ter o preparo psicológico e moral adequado para isso. Você vai abrir a sua mediunidade de uma maneira desequilibrada. Isso só vai te fazer mal.

A segunda maneira de você desenvolver a sua mediunidade (e essa é a maneira mais aconselhada), é por meio da sua evolução moral. Quanto mais o espírito do ser humano evolui moralmente, mais facilidade ele vai ter para entrar em contato com o mundo espiritual. Nesse caso, a mediunidade se desenvolve de uma maneira natural. A pessoa não sofre e quando ela começa a perceber o mundo espiritual, a sintonia dela já vai estar de acordo com o grau evolutivo que ela atingiu. Vocês conseguem perceber? Se vocês abrem a mediunidade usando drogas, não vão ver espíritos de luz ao seu lado, muito menos mentores. O que vocês vão ver são os seus obsessores, ou o que eles quiserem que vocês vejam.

Agora, se vocês desenvolvem a mediunidade com paciência, por meio de estudo, autorreflexão… os espíritas chamam de ‘reforma íntima’ ou reforma interior. Quando a sua mediunidade florescer, vocês vão ver os seus guias espirituais, entidades amigas ao seu lado, vocês vão ter a oportunidade de usar a mediunidade para se aprimorarem cada vez mais. Porque, nesse caso, vocês vão desenvolver a mediunidade já com a sintonia certa. Vocês não vão ficar batendo a cabeça para tentar arrumar a sintonia correta para enxergar espíritos evoluídos.

Lembrando que a mediunidade é só uma ferramenta, viu gente! E como toda ferramenta, ela pode ser usada bem ou mal. Vai depender de quem a utiliza. Eu conheci um dirigente de um terreiro de Umbanda, o Seu Dalmo… Ele já desencarnou. E ele costumava dizer o seguinte: a mediunidade sem estudo é como uma locomotiva desgovernada. E é bem assim gente. A gente não tem ideia dos acidentes de percurso que uma mediunidade mal desenvolvida pode causar nas nossas vidas.

Quer desenvolver a sua mediunidade? Desenvolve ela por motivos nobres, nunca em benefício próprio. Porque e você tentar desenvolver a sua mediunidade em benefício próprio, isso só vai trazer sofrimento na sua vida. Bem, esse foi o nosso episódio de hoje. Eu espero que vocês tenham gostado. E se vocês estão curtindo o nosso podcast, entra lá no nosso site almadepoeta.com.br e deixa o seu comentário. Você também pode ouvir nosso programa nas principais plataformas de áudio: Spotify, Google Podcast, Deezer, Apple Podcast, anchor.fm e Youtube. Um grande abraço a todos, fiquem com Deus, que o nosso Pai Oxalá os abençoe hoje e sempre!

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 9
Nenhum número escolhido ainda