O Espírito Santo na Umbanda e Uma conversa sobre os Capelinos

Ouvir episódio

Ilustração: Ramira Yuri Ribeiro. Você sabe explicar o que é o Espírito Santo e como Ele se manifesta entre nós? Ouça nesse episódio como a Umbanda interpreta o Espírito Santo. E na segunda parte, nós vamos conversar um pouco sobre os Exilados de Capela que vieram para a Terra.

Transcrição do Episódio

Olá, povo da Umbanda! Sejam bem-vindos a mais um episódio do Alma de Poeta! Estamos aqui iniciando mais uma semana de trabalho, mais uma semana de gravações, de estudo. E eu sou muito grato por ter recebido a inspiração de iniciar esse podcast, porque eu sinto que eu estou sendo o maior beneficiado de tudo isso, sabe? Cada episódio que eu gravo é uma oportunidade que eu tenho de consolidar conhecimento. Porque enquanto eu gravo os episódios, eu acabo relembrando muitos dos ensinamentos que eu já recebi, seja por meio de livros, de mensagens espirituais, de ensinamentos recebidos oralmente. Como diz a sabedoria popular, é ensinando que se aprende.

Claro que eu não tenho a pretensão aqui de ensinar ninguém, né? Até porque tem gente muito mais graduada do que eu na Umbanda, com uma capacidade muito superior à minha de transmitir conhecimento. O que eu tento fazer aqui é apenas um bate-papo para expor para vocês assuntos que possam despertar em vocês a curiosidade para se aprofundar nos estudos. E por isso eu me sinto grato, por poder passar para vocês a minha visão de Umbanda.

E eu procuro tentar conciliar, na medida do possível, as diversas vertentes doutrinárias que existem dentro da Umbanda. E eu procuro ter uma visão mais holística, holístico assim no sentido de integralidade, ter uma visão mais ampla, tentar conciliar todas as vertentes filosóficas que existem dentro da nossa religião. Porque, eu tenho para mim que lá no plano espiritual, a Umbanda é uma só. O que existe aqui na Terra são maneiras diferentes de se praticar essa Umbanda. Cada um à sua maneira, de acordo com o seu grau evolutivo, de acordo com as suas crenças, cada um fazendo o seu papel, contribuindo para que a Umbanda se fortaleça cada vez mais. E eu, por meio desse podcast, tento fazer o meu papel. Meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e aqui a gente conversa sobre Espiritualidade, Religiosidade, Mediunidade, sobre Umbanda e também sobre as poesias de um Preto-Velho.

No episódio anterior, a gente estava falando sobre a influência de outras religiões nos rituais de Umbanda. E eu disse para vocês que a Igreja Católica teve e ainda tem uma influência muito grande, né? Eu lembro que algumas semanas atrás, eu estava conversando com a Sarah, lembra da nossa querida terapeuta de mulheres, a nossa adorável filha de Oxum? Aí ela mandou uma mensagem para mim perguntando qual é o meu entendimento sobre o Espírito Santo? Qual é a visão da Umbanda sobre o espírito santo? Vocês já pararam para pensar sobre isso? Você que é católico, católica, você saberia me explicar exatamente o que é o Espírito Santo? Eu estou perguntando isso porque, como eu não sou católico, eu não saberia passar para vocês a fundamentação que a igreja dá para o Espírito Santo. Porque a Umbanda, assim como o espiritismo kardecista, tem uma visão muito particular do Espírito Santo, né?

A visão da Igreja Católica, parece que é um pouco diferente. Me corrijam se eu estiver errado, porque eu não entendo nada de Catolicismo. Mas pros católicos, o espírito santo faz parte da santíssima trindade, né? É a terceira pessoa da santíssima trindade. Tem o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Nós sabemos que o Pai é Deus, isso é incontestável. E o filho, na visão da igreja católica, é Jesus Cristo. Eles falam, né? Jesus Cristo, seu único filho. E o que seria o Espírito Santo?

A igreja fala na comunhão do Espírito Santo quando da remissão dos nossos pecados. A igreja fala que para entrar em contato com o Cristo é preciso ter sido atraído pelo Espírito Santo. Que as pessoas que são portadoras do Espírito Santo são conduzidas ao Filho, que é Jesus, e o Filho as apresenta ao seu Pai, que é Deus, o todo poderoso. A igreja fala que não é possível chegar até o Pai, se não for pelo filho. E você só vai conhecer o filho se for atraído pelo Espírito Santo.

A Igreja fala que o Espírito Santo é a primeira manifestação divina que desperta a nossa fé. Bom, esse é o entendimento da igreja católica sobre o Espírito Santo. Mas percebam que esse entendimento, pelo menos para mim, fica um tanto quanto nebuloso. Afinal de contas, o que é esse Espírito Santo? O Espírito Santo é uma energia, é um atributo de Deus, é uma pessoa, é um espírito? Mas eu vou deixar em aberto aqui essa pergunta, caso algum ouvinte que entenda mais sobre catolicismo queira me esclarecer o que é o espírito santo para igreja católica.

O kardecismo já tem uma visão um pouco mais palpável do espírito santo. Pros espíritas kardecistas, o espírito santo é o consolador prometido de jesus, o paráclito. Se vocês olharem no Evangelho de João, tem lá escrito no capítulo 14, versículo 16, quando Jesus diz: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.” Essa palavra esquisita “paráclito”, vem do grego “parakletos” e significa o mediador, o defensor, o consolador. Então, na visão kardecista, o espírito santo é o paráclito, o consolador.

E o consolador prometido por jesus se manifestou aqui na Terra através das mensagens passadas pela espiritualidade de Luz. Então, o espírito santo, na visão kardecista, nada mais é do que a manifestação de espíritos evoluídos nos trazendo ensinamentos por meio de mensagens consoladoras. Lembra que a igreja católica fala que não é possível chegar ao Pai se não for pelo filho. E você só chega ao filho se for atraído pelo espírito santo? Pois é… Essa é a missão da espiritualidade de luz que se manifesta entre os nós, encarnados. Atrair a atenção das pessoas para as verdades do mundo espiritual, para que nós possamos nos aproximar um pouquinho mais da energia crística que nos envolve. Então, na visão kardecista, o espírito santo é o consolador prometido. E esse consolador prometido são as manifestações dos espíritos evoluídos que nos deixam mensagens para que possamos crescer espiritualmente.

E qual é a visão do espírito santo na Umbanda? Lembra que a umbanda tenta absorver o que há de melhor em cada religião? E a umbanda acabou absorvendo os conceitos tanto da igreja católica quanto do kardecismo. Da igreja católica, por exemplo, a umbanda absorveu a ritualística de fazer o sinal da cruz. Está certo de que não são em todos os terreiros que eles fazem isso, né? São mais aqueles terreiros que têm um viés católico mais forte. No catolicismo, as pessoas têm o hábito de fazer o sinal da cruz com a mão direita: em nome do pai, do filho e do espírito santo. amém.

E eu já vi alguns terreiros de umbanda fazerem o mesmo sinal da cruz, mas ao invés deles falarem “em nome do pai, do filho e do espírito santo”, eles falam “em nome de olorum, de oxalá, da linha da esquerda e da linha da direita”. Percebam que nessa simples ritualística já existe um sincretismo religioso. Já existe uma mistura de conceitos do catolicismo, do espiritismo e do africanismo. Quando a gente leva a mão direita na testa e fala “em nome de Olorum”, nós estamos nos referindo ao Pai, ao Deus todo poderoso, a Zambi.

Quando a gente desce a mão em linha reta até a altura do umbigo e falamos “em nome de Oxalá”, nós estamos fazendo referência ao filho de Deus, a jesus cristo, à energia divina mais próxima do criador. E quando nós cruzamos a mão, na altura do peito, da esquerda para direita, nós estamos fazendo menção ao espírito santo, que a Umbanda também interpreta, assim como o kardecismo, na manifestação da espiritualidade que nos direciona a Deus. E na umbanda, nós temos os espíritos que se manifestam na linha da esquerda e na linha da direita, né? Para nós, Umbandistas, o Espírito Santo se manifesta pela união e pelo esforço dos espíritos que se manifestam nesses dois polos: o polo positivo e o polo negativo.

Vejam que a Umbanda assimilou o conceito kardecista do espírito santo, né? para Umbanda, o espírito santo também é o consolador prometido de jesus que se manifesta através da espiritualidade. Só que, no caso da umbanda, tem os espíritos que trabalham na linha da direita: pretos-velhos, caboclos, crianças, dentre outros. E os espíritos que trabalham na linha da esquerda: exús, pombajiras, exus-mirins, malandros e por aí vai. E tanto a linha da direita quanto a linha da esquerda se manifestando com a permissão de Deus. É o espírito santo atraindo a atenção das pessoas para que elas possam espertar o seu lado espiritual, para que elas possam direcionar a caminhada para o nosso Pai Oxalá, permitindo que ele nos mostre a verdadeira face de Olorum.

E olha, eu vou confessar uma coisa para vocês. Vocês não são padres, mas eu vou deixar aqui a minha confissão. Antes do Pai Antônio me explicar essas coisas, eu tinha uma resistência muito grande de fazer o sinal da cruz. Na verdade, eu ainda tenho essa resistência. Não sei, eu acho que deve ser alguma coisa de vidas passadas, alguma rusga que eu tenho com a igreja católica, que eu ainda não sei identificar direito o que é… Eu lembro, quando eu era mais jovem, eu tinha uma aversão muito grande pela ritualística católica. Eu me sentia incomodado.

Eu acho que, se eu tivesse nascido a trezentos anos atrás, com certeza eu teria sido queimado na fogueira como herege. Vai saber, né? Se não foi isso que aconteceu. Se não é esse o desconforto que eu ainda tenho com a igreja católica. E eu estava pensando esses dias… até nesse ponto a Umbanda me ajudou. Ela me ajudou a aceitar melhor o Catolicismo. A Umbanda, através do seu sincretismo religioso, ela foi acalmando dentro de mim todos aqueles sentimentos desencontrados que eu tinha com a igreja católica. Aquela minha revolta foi serenando. Se a Umbanda aceita o catolicismo como parte de sua ritualística, por que que eu não vou aceitar? E é assim que a Umbanda vai fazendo eu melhorar a cada dia.

Bom, vamos mudar de assunto agora e ouvir mais uma poesia do Pai Antônio? O Pai Antônio conta que escreveu essa poesia inspirado pelo espírito de um capelino. Se você é kardecista, provavelmente você já ouviu a história dos Capelinos, dos espíritos que foram exilados aqui na Terra. Essa poesia fala da saudade que esse espírito Capelino tinha da sua morada celestial enquanto estava encarnado aqui no nosso mundo.

Oh, Estrela radiante,
que brilha assim tão distante,
enevoando os olhos meus!
Quando as lágrimas de saudade,
perdidas na eternidade,
procuram as mãos de Deus!

Oh, Estrela radiante,
tua beleza é um diamante
a refletir Mundos de Luz!
Locais de eterna bondade,
são fontes de felicidade
que nossos destinos conduz!

Oh, Estrela radiante,
concede a esta alma errante
a Ventura de te conhecer!
Nos teus reinos esplendorosos,
em meio a corpos vaporosos,
meu espírito quer viver!

Oh, Estrela radiante
tu és a alegria constante,
que a humanidade chama de Céu!
Morada de Luz resplandescente,
onde a alma volita contente
e o conhecimento derruba o Véu!

Oh, Estrela radiante,
meu coração pulsa incessante
toda noite quando te vejo!
Por ti eu sigo adiante,
buscando em um mundo distante,
a felicidade que tanto almejo! 

Eu fico pensando quanta saudade esses espíritos Capelinos não deveriam sentir do seu planeta natal enquanto estavam estagiando aqui na Terra. Para quem não sabe, Capela é uma das estrelas mais brilhantes que existe na constelação do Cocheiro. E pela nossa astronomia, aqui no plano físico, Capela fica a mais ou menos 45 anos luz de distância da Terra. Ou seja, se nós conseguíssemos viajar na velocidade da luz, 300.000 km/s, ainda assim, nós levaríamos 45 anos para chegar até capela. É até difícil da gente imaginar uma distância tão grande, né gente? Chega a dar cãibra no cérebro. Isso porque, astronomicamente falando, capela está aqui do lado, né? É praticamente vizinha da terra. Existem distâncias no Universo muito maiores, inimagináveis para o espírito humano.

Bom, mas voltando aqui para o assunto dos Capelinos. para quem não sabe, Capela é um mundo muito mais evoluído do que o nosso. para vocês terem uma ideia, a milhares e milhares de anos atrás, quando o planeta terra ainda estava na fase da pré-história, Capela já tinha uma tecnologia mais avançada do que o que a gente tem hoje aqui na Terra. E naquela época, capela estava passando por uma transição planetária, assim como a Terra está passando nos dias de hoje.

Daí, o que que estava acontecendo? Muitos espíritos Capelinos, por causa de um certo atraso moral, não estavam conseguindo acompanhar a evolução do seu planeta. Eles não estavam mais conseguindo se adaptar à evolução moral daquela sociedade. Eles estavam se tornando empecilhos para que aquele planeta evoluísse mais rapidamente. Daí, o que que aconteceu? Os dirigentes espirituais de Capela resolveram transferir aqueles espíritos para um planeta mais primitivo,

de maneira que eles pudessem, não apenas lapidar as suas almas, através de provas reencarnatórias duras, em um mundo que ainda estava nos primórdios da evolução, como também eles teriam a oportunidade, através do seu conhecimento avançado, de impulsionar o desenvolvimento daquela humanidade que ainda estava florescendo no nosso mundo. Porque esses espíritos Capelinos que foram exilados para Terra, apesar de eles não terem uma evolução moral compatível com o planeta onde vieram, eles possuíam uma inteligência e uma tecnologia muito mais desenvolvida do que nós temos hoje. E olha, a evolução tecnológica da humanidade terrestre deve muito a esses espíritos, que foram degredados de de um mundo mais evoluído do que o nosso.

Todas as grandes civilizações que floresceram no passado remoto, foram comandadas, foram construídas por Capelinos. Suméria, babilônia, Egito… Todas as grandes obras arquitetônicas que resistem ao tempo até hoje, teve a participação de Capelinos. E o caso, por exemplo, das pirâmides do Egito. Até hoje, a construção daquelas pirâmides desafia a nossa engenharia moderna. Ninguém sabe, exatamente, como que aquelas pedras foram sobrepostas, umas às outras, de uma maneira tão perfeita. As técnicas que eles usavam para embalsamar os faraós. Tudo isso é um grande mistério. E muito o conhecimento tecnológico dos Capelinos acabou indo embora com eles, né?

A espiritualidade fala que todos os Capelinos que vieram aqui para Terra, já tiveram a permissão de voltar para o seu planeta de origem. Através das provas duras que eles enfrentaram aqui na Terra, acabaram se regenerando, conquistando o direito de voltar para o mundo de onde vieram.

Como é perfeita a bondade de Deus, ne gente? Eu costumo dizer que Deus nos dá sempre a oportunidade do recomeço. E os Capelinos tiveram a oportunidade de recomeçar aqui na Terra. A misericórdia de Deus é tão grande que permitiu que esses espíritos evoluíssem mais rapidamente, por meio de provas difíceis aqui na Terra, ao mesmo tempo em que ajudavam a Humanidade primitiva desse mundo a evoluir junto, transferindo conhecimento e tecnologia, lógico, nos limites em que o homem daquele tempo conseguia assimilar.

E sabe o que é interessante? A história está se repetindo. As mesmas leis divinas estão sendo aplicadas aqui no planeta Terra, da mesma maneira que foram aplicadas lá em capela há milhões de anos atrás. Muitos espíritos estão sendo transferidos aqui da Terra para mundos mais primitivos do que o nosso. São espíritos que não estão mais conseguindo acompanhar a evolução moral da humanidade. E da mesma maneira que os Capelinos ajudaram o nosso planeta a evoluir, esses espíritos aqui da Terra, ainda arraigados ao mal, ao egoísmo, vão ajudar as humanidades mais primitivas desses planetas a evoluir também. Essa é a bondade, a misericórdia e a justiça do nosso Pai Olorum!

Então, gente, vocês gostam aqui da Terra? Querem continuar vivendo e reencarnando nela? Ou então ir para um mundo melhor do que o nosso? Então façam por merecer. Porque se a gente não fizer da maneira certa, se a gente não se adaptar ao padrão moral evolutivo que o nosso mundo está impondo, com certeza nós seremos um dos desprivilegiados a conhecer mundos mais primitivos do que o nosso, onde continuaremos a evoluir, mas essa evolução vai se dar pela dor.

Daí, quem sabe, vivendo num mundo pré-histórico, você vai falar para humanidade de lá sobre Umbanda, sobre Orixás, sobre o amor, mostrando a eles o caminho para o despertar da espiritualidade.

Espero que vocês tenham gostado do episódio de hoje. E vocês acham que tudo isso é viagem minha… Então continuem pensando assim, e vocês vão ver como essa viagem vai se tornar real. Um grande abraço para vocês, fiquem com Deus e que nós possamos continuar despertando a nossa consciência cada vez mais.

Deixe seu comentário

2 comentários

Mais deste assunto

Episódio 38
Nenhum número escolhido ainda