Controlando Nossos Sentimentos e Emoções

Ouvir episódio

Ilustração: Ramira Yuri Ribeiro. Qual a importância de sabermos controlar as nossas emoções e sentimentos para que possamos ter uma evolução espiritual acelerada e sem sofrimentos? As nossas emoções nada mais são do que o reflexo da nossa mente no corpo físico.

Transcrição do Episódio

Olá Galerinha do Axé! Sejam muito bem-vindos a mais um episódio do podcast “Alma de Poeta”. Eu agradeço imensamente a vocês que nos ouvem, que participam, que entram em contato comigo tirando dúvidas, deixando palavras de incentivo e até mesmo criticando. Eu procuro receber todas as críticas de uma maneira construtiva. São as críticas que vocês fazem que ampliam a minha percepção para tentar fazer um podcast cada vez melhor.

E estou falando isso porque o episódio anterior foi bastante polêmico. Eu recebi alguns puxões de orelha de pessoas queridas por ter publicado uma história tão pesada. Eu fiquei bastante pensativo, inclusive, com uma bronca que eu recebi. A pessoa ouviu uma parte do episódio e me advertiu que o mal não deve ser propagado, que o mal não deve ser comentado em hipótese alguma, da maneira que foi feita. Eu respeito muito essa opinião, esse ponto de vista. Realmente, eu acho que o mal não deve ser incentivado, mas eu penso que nós devemos ter consciência das coisas que acontecem ou que aconteceram, para não fazermos igual, não é mesmo?

E olha, gente, tudo o que eu publico aqui é com a melhor das intenções. É para o nosso aprimoramento, por nosso crescimento espiritual. Eu sempre procuro extrair lições e aprendizados das experiências que nos são relatadas do plano espiritual. Peço desculpas para as pessoas que se impressionaram com a história, mas infelizmente, é uma realidade que acontece, né? E para essa realidade, nós não podemos fechar os nossos olhos. Meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e nesse podcast a gente fala sobre Umbanda, Espiritualidade, Mediunidade e, também, sobre as poesias do Pai Antônio.

Esses dias eu estava pensando aqui… O que será que vocês gostam de ouvir? Vocês gostam de ouvir relatos do plano espiritual, vocês gostam de ouvir as poesias do Pai Antônio, vocês gostam de falar sobre mediunidade, ou vocês gostam de ouvir mais ensinamentos sobre Umbanda? Eu queria muito saber qual é o assunto preferido de vocês? Porque eu vou falando os assuntos aqui nos episódios, meio que aleatoriamente, né? Eu gosto de falar sobre todos esses assuntos, são temas que fazem parte da minha vida e que, por isso, eu sinto prazer em compartilhar com vocês. Mas me digam aí vocês, o que vocês gostam de ouvir, qual é o seu assunto predileto de vocês dentro dessa linha que a gente conversa aqui no podcast? Entrem lá no site almadepoeta.com.br e deixem lá a sua mensagem, o seu comentário. Daí, de repente, eu consigo me orientar melhor aqui nas minhas programações.

Hoje eu queria falar um pouco para vocês sobre as emoções. Você sabe o que são as emoções? Aquilo que você sente dentro do peito, aquilo que faz o seu coração acelerar, deixa sua respiração ofegante? A emoção é o resquício daquilo que um dia foi predominante dentro de nós. Eu estou falando do instinto. A emoção nada mais é do que o nosso instinto aprimorado.

Mas percebam que emoção é diferente de sentimento, né? Muitas pessoas confundem uma coisa com a outra. O Amor é um sentimento, a felicidade é um sentimento. Da mesma maneira, o ódio é um sentimento, a tristeza é um sentimento. A emoção, por sua vez, é uma reação do cérebro a um estímulo ambiental. Então, a alegria é uma emoção, a surpresa, a raiva, o pânico.

Percebam que a emoção é transitória, é momentânea. Ela acontece de acordo com aquela circunstância que você está vivendo. O sentimento não! O sentimento já é algo mais duradouro. E muitas vezes o sentimento pode até nascer de uma experiência emocional. É o caso, por exemplo, da paixão que vira amor. Ou no extremo oposto, da raiva que vira ódio. Das alegrias constantes que viram felicidade.

E assim como o instinto evoluiu para a emoção, os nossos sentimentos também vão evoluindo com o passar dos milênios. Os nossos sentimentos vão despertando lentamente no nosso espírito.

Nós somos espíritos em constante evolução, né? Então, o homem de hoje, quando eu falo de homem, eu estou me referindo ao ser humano, né, homem e mulher. É o Neanthertal de antigamente. Nós somos aqueles mesmos espíritos que viveram em épocas primitivas na pré-história, há dois milhões de anos atrás.

E através das milhares, das milhões de reencarnações que a gente teve, o nosso espírito foi evoluindo e foi conquistando o direito de habitar corpos mais aperfeiçoados, como é o caso do corpo que a gente utiliza hoje, do homo sapiens. O corpo que a gente utiliza hoje, é uma conquista do nosso espírito. Está certo que ainda nós vivemos num corpo muito primitivo, né? Muito materializado, se nós compararmos com outros mundos. Mas é isso que a gente conquistou até agora. E as habilidades intelectuais que o corpo do homo sapiens nos proporciona é muito superior às habilidades cognitivas que o homo erectus tinha, por exemplo. A natureza evoluiu a sua forma biológica para proporcionar novas oportunidades de reencarnação para espíritos que também estão num processo evolutivo.

Mas por que que eu estou falando isso? Pelo fato do nosso corpo ainda ser muito primitivo, ele carrega uma carga muito intensa ainda de emoção. E é exatamente essa emoção que a gente precisa aprender a controlar. Lembra que eu disse que as emoções muitas vezes constroem os nossos sentimentos? O hábito faz o monge. Se você vibra muita raiva no seu dia a dia, a tendência é que o seu espírito comece a desenvolver o sentimento de ódio. Da mesma maneira, se você vibra alegria, a tendência é que o seu espírito comece a desenvolver um sentimento de felicidade. Somos nós que construímos os nossos sentimentos, através das emoções que nós permitimos que se manifestem dentro da gente.

Oh Evandro, mas como é que a gente controla isso? Como é que a gente controla nossas emoções se você mesmo disse que as emoções estão diretamente ligadas ao instinto que nós temos? Sabe qual é a resposta, gente? A mente! As emoções são reflexos da mente no corpo físico. Na verdade, a sua mente, o seu pensamento vai atuar, tanto no seu corpo emocional, no seu corpo astral, como no seu corpo físico.

Há muitas e muitas encarnações atrás, quando a gente não havia ainda nem despertado para a espiritualidade, eram as emoções que controlavam a nossa vida. A gente vivia numa condição permanente de lutar ou fugir, uma verdadeira situação de animalidade.

Só que hoje, pessoal, o nosso raciocínio evoluiu, o nosso cérebro se desenvolveu. Hoje nós temos condições de desenvolver raciocínios complexos que não tínhamos a milhões de anos atrás. E nós vivemos em um mundo hoje que já não precisamos mais usar o nosso instinto para sobreviver. Mas apesar da gente não precisar mais usar diretamente o nosso instinto, o nosso corpo ainda guarda aquelas impressões das eras primitivas.

É nessa hora que entra o trabalho da sua mente! O que a sua mente pensa, vai resultar em uma emoção no seu corpo físico. Se você tem um pensamento terrível, por exemplo, você vai perceber que o seu corpo fica tenso. o seu coração bate mais rápido. Se você tem um pensamento negativo ou hostil, você vai perceber que isso pode resultar numa emoção de raiva. Da mesma maneira, se você tem um pensamento positivo, de compaixão, de empatia, isso vai resultar em uma emoção de carinho, de afetuosidade. E da mesma maneira que a raiva, quando é cultivada constantemente, acaba se transformando em ódio. O carinho, a afetuosidade, o uso constante de palavras bondosas e positivas podem fazer despertar em você o sentimento de amor. Mas percebam que tudo começa na sua mente. Você tem o poder de decidir aquilo que você quer sentir. E por esse motivo, observar as emoções é tão importante quanto observar os seus pensamentos. Porque se você está sentindo aquilo, é porque já passou pelo seu pensamento, talvez até de uma maneira desapercebida. E se a gente não fica alerta para as emoções que estamos sentindo, essas emoções, com o tempo, acabam dominando a gente por completo.

Então, gente, a consciência de saber isso é que abre o caminho para escapar do sofrimento. A gente sofre pelo nosso próprio desequilíbrio. A gente sofre porque a gente tem os nossos pensamentos desregrados e as nossas emoções desregradas. A partir do momento que nós tomamos consciência disso, o nosso sofrimento já passa a ser opcional.

A dor emocional que nós sentimos, muitas vezes, é o resultado da nossa mente não estar presente, da nossa mente não estar desperta, vivenciando aquele momento. Porque, gente, a nossa mente é alimentada basicamente por duas coisas: memórias e imaginação. A nossa mente vive continuamente ou em memórias do passado ou então antecipando um futuro imaginário que nunca chega.

Quando você sofre por um ente que já partiu, por exemplo, ou por um momento bom na sua vida que já não existe mais, você está sofrendo com suas memórias. A culpa, o arrependimento, a amargura e o remorso são o resultado também de experiências passadas, quando a sua mente está vivendo de memórias. E por outro lado, o estresse e a ansiedade, por sua vez, são causados por nossa preocupação com o futuro. Muitas pessoas acabam sofrendo por antecipação, prevendo que algo irá acontecer, sem saber quando, como nem onde. Este é o lado imaginativo da sua mente em ação. Mas se você parar para pensar, o agora é tudo o que existe. Porque o passado já não existe mais e o futuro é apenas uma abstração da nossa mente. O futuro é algo que não existe. Porque quando esse futuro chegar, ele será apenas outro agora.

Eu comecei a falar sobre esse assunto, para vocês perceberem a importância de observar as nossas emoções, da mesma maneira que nós temos que observar os nossos pensamentos. São esses dois pontos que vão servir de alicerce para o despertar da sua consciência.

E olha, gente, a nossa espiritualidade está florescendo só agora, depois de milênios de evolução no reino animal. Depois de milhares e milhares de vida, nascendo, renascendo, morrendo, é que o nosso espírito está finalmente despertando para a realidade do mundo espiritual. E é melhor que a gente desperte da maneira certa, né? Que seja um despertar mais rápido.

Eu queria deixar o meu agradecimento aqui à Yarin, a pombajira que me orienta, porque foram delas essas palavras, esses ensinamentos sobre as emoções e os sentimentos. Eu acho que eu nunca vou conseguir reproduzir para vocês a profundidade das mensagens, com a riqueza de detalhes que a espiritualidade me passa. Mas eu me esforço ao máximo para tentar passar a mensagem principal. Aprendam a cuidar, não só dos seus pensamentos, mas também das suas emoções. Isso vai trazer um crescimento, uma evolução muito grande para nós.

E aproveitando que a gente está aqui falando sobre poesia e sentimento, eu vou recitar aqui outra poesia do Pai Antônio, outra mensagem espiritual que está mais ou menos relacionada com esse tema. Essa poesia se chama “As Palavras”.

Ah, essas palavras que nos invadem,
trazendo tristezas e alegrias,
palavras faladas; palavras que ardem,
expressando amor e melancolia...

Têm palavras suaves e delicadas
que nos confortam na solidão;
Têm palavras rudes, palavras pesadas,
que fazem chorar o coração.

Mas palavras são mais que palavras,
são energias do espírito eterno!
Da rainha até a humilde escrava,
da antiguidade até os dias modernos.

Alguns preferem a palavra falada
para transmitir seus conhecimentos,
enquanto outros, de boca fechada,
enterram palavras e sentimentos.

Mas a palavra, mesmo que calada,
acaba produzindo os seus resultados,
pois até mesmo a palavra pensada
deixa no espírito o seu legado.

Dizem que as palavras têm poder...
Quem é esse negro para discordar?
Porque hoje, claramente posso ver
a energia da vida se movimentar!

Toda palavra carrega uma emoção, 
toda palavra traduz um sentimento.
Os sons que chegam no coração,
colocam o universo em movimento.

Então, peço aos meus filhos queridos,
que escolham sempre as boas palavras!
Para quando chegar o dia dolorido,
com sabedoria poder utilizá-las!

Palavras mostram o interior da alma,
e do espírito a sua tendência.
Palavras que irritam e que acalmam,
elevando e baixando nossa frequência!

Bonito, não é gente? Impossível a gente não relacionar pensamentos, sentimentos e emoções com palavras. Afinal de contas as palavras é a ferramenta que a gente tem para exteriorizar os nossos pensamentos, os nossos sentimentos e as nossas emoções. As palavras refletem exatamente aquilo que habita em nossa alma. Se nós falamos palavras boas, bom é o sentimento que carregamos. Se nós falamos palavras de revolta, essas palavras negativas estão sendo apenas o reflexo daquilo que existe dentro de nós. Como a poesia fala, nós devemos escolher sempre as boas palavras, porque toda palavra traduz um sentimento, porque toda palavra carrega uma emoção.

A linguagem é um dos maiores dons que o homo sapiens conseguiu desenvolver. E nós devemos usar essa ferramenta com sabedoria. Através das palavras, nós conseguimos deixar as pessoas bem ou não. Até mesmo através da entonação que nós colocamos nas palavras, conseguimos mudar o estado de espírito da pessoa que nos ouve. Os terapeutas conhecem muito bem essa técnica.

Então, gente, eu acho que a grande mensagem que essa poesia nos traz é essa! Vamos começar a exercitar a boa palavra. Evitar palavras negativas, de baixa vibração e começar a falar palavras positivas, palavras boas, palavras que atuam como verdadeiras terapeutas para os nossos espíritos. Palavras e expressões que nos conectam diretamente ao sentimento de amor, de bondade, de paz, de felicidade.

Espero que vocês tenham gostado do episódio. Agradeço muito as orientações que eu tenho recebido, tanto de espíritos desencarnados quanto de espíritos encarnados. Porque muitos de vocês aqui estão me ajudando com os conteúdos, seja por meio de conversas, seja por meio de críticas, de puxões de orelha. Eu vejo em cada pessoa que me procura uma oportunidade de crescimento. E eu espero que as mensagens que eu gravo nesse podcast sirvam também para o crescimento interior de cada um de vocês. Esse é o meu pedido para Deus, que você se tornem seres humanos cada dia melhores!

Eu agradeço pelo carinho, pela atenção e acompanhem os nossos episódios pelas principais plataformas de audio: Spotify, Deezer, Google Podcast, Amazon Music, Apple Podcast, Youtube e também pelo nosso site Alma de Poeta. Fiquem com Deus e que o nosso Pai Maior nos proporcione oportunidades para equilibrar os nossos pensamentos, os nossos sentimentos e as nossas emoções. Um grande abraço a todos e até o nosso próximo encontro.

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 34
Nenhum número escolhido ainda