A Energia de Obaluaê

Ouvir episódio

Estamos vivendo momentos de doenças, pandemias, mortes e desgraças. O que Obaluaê tem a ver com isso? Dê um play no áudio e confira!

Transcrição do Episódio – A Energia de Obaluaê

Oi pessoal! Sejam bem vindos ao nosso Podcast Alma de Poeta. Meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e a gente está aqui para falar sobre Espiritualidade, sobre Umbanda e sobre o despertar da nossa consciência.

Eu resolvi colocar um áudio para vocês hoje que foi gravado há um ano. Mas por incrível que pareça, esse áudio ainda está muito atual com o momento que a gente está vivendo hoje, com o momento que ainda a gente está vivendo de pandemia, de doença, de morte.

Eu espero que vocês gostem, que reflitam… muitas das pessoas com quem eu tenho contato já ouviram, mas eu senti de disponibilizar esse áudio também aqui no Podcast.

O som da minha voz vai ficar meio estranho, porque na época em que eu gravei o áudio, eu estava usando outro computador, outro microfone, enfim, eu não sei como é que arruma isso, como é que faz para deixar mais ou menos parecido (eu ainda estou batendo a cabeça com as edições desses áudios). Me perdoem por isso.

Eu resolvi gravar esse áudio para falar um pouco sobre Umbanda. E é muito oportuno o momento, eu achei, pelo menos, de falar sobre o Orixá que está regendo esse momento tão delicado que está passando o nosso planeta. Eu estou falando de Obaluaê ou Omulú, como vocês queiram.

Obaluaê é a manifestação divina, a manifestação de Deus responsável pelas doenças contagiosas, pelas epidemias, pela morte, mas ao mesmo tempo, Obaluaê também é o Orixá responsável pela cura. É engraçado, não é? Porque do ponto de vista espiritual, a doença nada mais é do que o caminho da cura.

Então, o que nós chamamos de doença, a espiritualidade chama de remédio. A doença, muitas vezes, é o remédio amargo que a gente precisa tomar para curar o nosso espírito. E isso, Obaluaê faz com excelência. Ele dissemina a doença pelo mundo para que essa doença sirva como um trampolim, para fazer com que o nosso espírito evolua de uma maneira mais rápida.

A palavra Obaluaê vem do idioma Iorubá. Ela é composta de duas palavras: “Obá” que significa rei e “Ayê” que significa terra. Então, se vocês forem traduzir ao pé da letra, Obaluê significa “o rei da terra” ou “o senhor da terra”.

Isso porque Obaluê é o ponto de contato do nosso espírito com o plano físico, com o plano da matéria. Obaluaê é o ponto de contato do corpo do homem com a terra. É por isso que Obaluaê rege a morte, mas também rege o renascimento.

Porque a morte é o momento em que o espírito do homem se desliga da matéria. E o renascimento é o momento em que o espírito do homem se religa à matéria, se religa ao plano físico. E isso é regido pela energia de Obaluaê.

Eu não sei se vocês já tiveram a oportunidade de assistir uma apresentação de Obaluaê. Isso acontece muito em festividades do Candomblé, em alguns terreiros de Umbanda também, quando uma pessoa se cobre de palhas e faz uma dança típica, uma dança folclórica, simbolizando Obaluaê.

Se vocês assistirem essa dança, vocês vão ver que Obaluaê dança curvado para frente, como se ele estivesse atormentado por dores, como se ele estivesse sofrendo. Essa dança imita o sofrimento de Obaluaê, essa dança imita as coceiras, os tremores de febre.

Porque, na verdade, é isso que Obaluaê traz para o nosso planeta em um primeiro momento. Ele traz o sofrimento, ele traz a dor necessária para que o nosso espírito desperte, para que a nossa alma se purifique.

Essa dança se chama “Opanijé”, que em português, significa “ele mata qualquer um e come”. Isso é Obaluaê. Porque a doença mata qualquer um… E quando fala “ele mata qualquer um e come”, significa que Obaluaê é o responsável por absorver o seu corpo físico, na decomposição da terra, pelo alimento dos vermes. Isso é a energia de Obaluaê.

Por isso o nome “Opanijé” (ele mata qualquer um e come). Eu não sei se vocês já tiveram a oportunidade de ver uma imagem de Obaluaê, a imagem africana… Obaluaê é um Orixá que vem vestido com uma roupa de palha. Essa roupa de palha se chama “Azé”. E existe uma simbologia nessa roupa de palha.

Na mitologia africana, eles diziam que Obaluaê vestia essa roupa de palha para cobrir as suas chagas, as suas feridas, porque Obaluaê seria portador de varíola. Então, para cobrir as feridas dele, ele se escondia debaixo de uma roupa de palha.

Outra explicação para essa roupa de palha é que Obaluaê tem um brilho tão intenso que nenhum ser humano suportaria vê-lo descoberto. Então, essa roupa de palha serve para que Obaluaê se torne perceptível aos nossos olhos. É lógico que isso tudo é uma simbologia. Assim como Obaluaê, os outros Orixás também são representados por imagens.

E por que acontece isso? Isso acontece por uma limitação nossa, a limitação do ser humano de não conseguir compreender ou não conseguir se concentrar ou se devotar a algo que está muito além da nossa compreensão. Então, como nós não conseguimos entender direito a grandiosidade de um Orixá, existe a necessidade de a gente simbolizar os Orixás através de imagens. E isso acontece com Obaluaê, acontece com Oxóssi, com Oxalá, com Xangô, com Iemanjá… com todos os Orixás da Umbanda.

São simbologias dos Orixás através de imagens para que a gente possa direcionar o nosso pensamento, o nosso sentimento, de uma maneira que nós possamos nos conectar melhor com essa energia. Eu não vou me alongar muito nesse áudio. Eu espero que vocês reflitam sobre a energia de Obaluaê que está cuidando da nossa Terra.

E saibam que Obaluaê, da mesma maneira que ele traz a doença e a desgraça, ele também traz a cura. Então, não é para desesperar, porque a doença só permanece enquanto existe a necessidade de sermos purificados. A partir do momento em que nós adquirimos essa consciência e que nós, através da nossa reforma interior, a gente começa a iluminar, começa a expandir os nossos horizontes, aí a doença deixa de fazer sentido e logo em seguida Obaluaê traz a cura.

Eu espero que esse áudio sirva para alguma reflexão. Foi um áudio assim meio improvisado. Aproveitem esses dias para estudar, para refletir, para meditar e se cuidem! Cuidem de sua família, cuidem principalmente dos seus pensamentos para que mantenham a energia boa, para que mantenham a energia leve, porque é isso o que o nosso planeta está precisando nesse momento: boas energias, bons pensamentos, boas vibrações para todos!

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 3
Nenhum número escolhido ainda