O Anjo da Guarda na Umbanda

Ouvir episódio

Hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre a figura do anjo da guarda na Umbanda. Muita gente acaba confundindo as coisas, achando que anjo da guarda e Entidade é a mesma coisa. Não é, pessoal! São seres bem diferentes, com funções diferentes, com atribuições distintas.

Transcrição do Episódio

E aí, galerinha do Axé! Bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada! Tudo bem com vocês? Estamos iniciando mais um episódio do Podcast Alma de Poeta, atingindo aí a marca de quase 40.000 visualizações, graças a Deus! Eu nunca pensei que esse trabalho despretensioso chegaria tão longe e graças ao carinho de vocês, a gente está conseguindo levar essas mensagens para lugares tão distantes, para pessoas tão diferentes, mas comprometidas no mesmo propósito de evolução espiritual. Meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e nesse Podcast a gente fala sobre Umbanda, Espiritualidade, Mediunidade e também sobre as poesias do Pai Antônio.

Hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre a figura do anjo da guarda na Umbanda. Muita gente acaba confundindo as coisas, achando que anjo da guarda e Entidade é a mesma coisa. Não é, pessoal! São seres bem diferentes, com funções diferentes, com atribuições distintas.

Quando a gente fala de Entidades, a gente está falando de espíritos desencarnados, que assim como nós, estão num processo evolutivo na condição humana. Lógico que, dependendo da Entidade, ela está num patamar evolutivo muito superior ao nosso. Não dá para comparar a evolução de um preto-velho ou e um caboclo com a nossa. Esses são espíritos muito mais antigos do que você, que já tiveram muito mais experiências reencarnatórias, que já adquiriram muito mais conhecimento. Mas percebam que eles ainda pertencem à categoria humana.

Então, quando a gente fala de Entidades, a gente está se referindo apenas a Caboclos, Pretos-Velhos, Crianças, Baianos, Boiadeiros, Ciganos, Marinheiros, Exús, Pombajiras. Enfim, são espíritos que, assim como nós, também tiveram experiências aqui na Terra, eles enfrentaram seus desafios, eles venceram as suas limitações e hoje estão numa condição muito melhor do que a nossa.

Agora, a situação do anjo da guarda já é totalmente diferente. O anjo da guarda é um espírito que já está vivendo em um outro reino da natureza, diferente da condição humana. Lembra que eu já comentei no Podcast que os espíritos criados por Deus passam por diversos reinos da natureza? Que o espírito passa pelo reino vegetal, pelo reino animal, pelo reino elemental, pelo reino hominal, que nós estamos hoje. E assim, ele continua subindo os degraus da evolução até chegar a Deus.

Então… da mesma forma que existem reinos inferiores ao reino humano. Inferior, que eu digo, não não no sentido de ser ruim, mas numa condição de desenvolvimento abaixo da nossa. Da mesma maneira, existem reinos superiores ao reino humano. E um dos reinos imediatamente superior ao nosso é o reino angelical, onde o seu anjo da guarda vive e segue o seu processo evolutivo.

Aqui a gente já consegue perceber que a situação de uma anjo da guarda é muito, muito, muito mais elevada do que a situação de um guia espiritual, por exemplo. O próprio nome já diz, né? A palavra anjo significa mensageiro. O mensageiro do Senhor. São eles que intercedem nas esferas mais superiores de vida, pelo nosso destino, pela nossa evolução.

E se a gente pudesse fazer uma comparação, da distância que existe entre o reino angelical e o reino humano, seria mais ou menos a mesma distância que existe entre o reino humano e o reino animal. Vocês conseguem perceber o abismo que existe entre você, ser humano e o animalzinho que está na sua casa, com relação à compreensão do Universo? Com relação ao desenvolvimento da inteligência e da consciência? Esse é o mesmo abistmo que existe entre os seres humanos e a esfera angelical. Eles tem uma consciência muito superior à nossa de existência, de Universo, de Deus. Eles já conseguem ver com absoluta clareza aquilo que a nossa inteligência ainda tem dificuldade de enxergar.

Os anjos já tem um papel muito mais ativo como sendo co-criadores de Deus. Vocês entendem?Eles ajudam com muito mais eficiência a cumprir os designios do nosso Pai Olorum. Então, ficou claro, né gente? Anjo não é uma categoria de espírito, assim como é Caboclo, Preto-Velho, Erê… A angelitude é um reino que nós aspiramos chegar um dia, mas que ainda está muito longe da nossa realidade. A gente vai precisar de uma eternidade inteira pela frente para chegar onde eles estão hoje.

Então, não vai pensando que uma pessoa, quando ela morrer, por mais boa que ela seja, vai virar anjo. Porque não vai! O máximo que ela vai conseguir é virar um guia espiritual. Porque a natureza não dá saltos. Da mesma maneira que um animal não consegue virar um ser humano de uma vida para outra (me perdoem as pessoas que pensam o contrário), o ser humano também não consegue virar anjo num passe de mágica. Porque para virar anjo, ainda faltam atributos, faltam qualidades que nós ainda desconhecemos no patamar evolutivo que o nosso espírito está vivendo hoje.

A gente ainda não aprendeu nem a amar o nosso próximo como deveríamos, uma das lições mais básicas que existe para entrar no reino angelical, quem dirá virtudes que a gente ainda desconhece?

Eu vou dar um exemplo para vocês. Lembra do abismo que eu falei que existe entre o reino do homem e o reino animal? Tenta ensinar matemática para o seu cachorrinho de estimação… “Vem cá Totó! Eu vou ensinar para você uma continha básica. Um mais um é dois. Dois mais dois é quatro.” Você acha que o seu cachorrinho vai entender o que você está tentando explicar para ele? Claro que não! Porque o nível de abstração do pensamento dele ainda não chegou no patamar nosso. O máximo que o seu cachorrinho vai entender é quando você fala para ele assim: “Vamos passear?” Daí ele já fica todo feliz, eufórico, pulando, balançando o rabo, porque isso faz parte da realidade dele. A inteligência dele já compreende certas coisas, mas ainda está muito longe de compreender conceitos mais complexos. Vocês entendem?

Quando um anjo se dirige até o reino humano, ele está totalmente consciente das nossas limitações, como seres humanos, de compreender determinadas coisas. E da mesma maneira que você age com seu animal, dizendo coisas simples, de uma forma que a inteligência dele consiga captar, o reino angelical também tem todo um cuidado para tentar passar mensagens que nós consigamos compreender. E eles fazem isso com muito amor, com muito carinho. O mesmo carinho que nós temos pelos nossos animaizinhos de estimação.

Ah, Evandro, então você está querendo dizer que eu sou o animalzinho de estimação do meu anjo da guarda? Você percebe a visão limitada que a gente tem? Nós vemos o cachorrinho como sendo apenas um animalzinho de estimação, mas os anjos nos veem como irmãos menores da Criação. Assim como eles veem os animais e os vegetais como irmãos menores da Criação também. Cada um no seu estágio evolutivo próprio.

A partir do momento em que você começar a ver as formas inferiores de vida como estágios em que você também já passou como espírito, você vai começar a ter uma ideia mais aproximada de como o anjo da guarda te enxerga. Não como um animalzinho de estimação, mas como um bebê, como um irmão menor.

Beleza! Mas vamos voltar agora para a ideia que a Umbanda tem de anjo da guarda. Os anjos, por uma questão de afinidade, eles acabam se comprometendo a acompanhar o processo evolutivo de determinados espíritos que ainda estão na condição humana. Então, tem um anjo da guarda específico, não sei aonde, que se comprometeu com o seu processo evolutivo. E ele te acompanha a Eras, desde que você estava estagiando em reinos inferiores, assim como ele vai continuar te acompanhando por todo o período em que você permanecer como ser humano.

Isso significa que o anjo da guarda não está com você uma única vida, uma única encarnação. Ele está te acompanhando sempre. Não importa se você está encarnada ou desencarnada, o teu anjo da guarda não muda. Ele é permanente e ele te conhece mesmo antes de você se conhecer por gente.

É diferente dos nossos guias espirituais. Porque os guias espirituais mudam de uma vida para outra. Nessa vida, por exemplo, eu estou sendo acompanhado pelo Pai Antônio, que é um dos meus guias espirituais. Pode ser que numa encarnação futura já não seja mais ele. Mas o meu anjo da guarda vai permanecer o mesmo!

Por aí, você já deve perceber que a ascendência do seu anjo da guarda sobre você é muito mais forte do que a ascendência dos seus guias espirituais. O seu anjo da guarda te conhece muito mais profundamente do que qualquer guia espiritual que te acompanha, por mais iluminado que ele seja. É lógico, tem guias espirituais que te acompanham já há muitas vidas. Uma vida, dez vidas, cem vidas. Mas é diferente do anjo da guarda que te acompanha desde que você se reconhece como ser humano e até mesmo antes disso.

A gente pode até fazer uma comparação, para ficar mais claro da gente entender isso. Imagina que quando você era criança, você ia para a escola. Primeira série, segunda série, terceira série, ensino fundamental, ensino médio. Em cada ano você pegava professores diferentes, que te ensinavam coisas diferentes. Pode ser que uma professora tenha te acompanhado durante vários anos. Se a gente for trazer isso para a Umbanda, os professores são os nossos guias espirituais, são os nossos mentores. Eles podem te acompanhar uma, duas, várias vidas. E eles podem até conhecer bem as suas limitações como aprendiz. “Ah, esse meu aluno aqui, eu já acompanho ele há vários anos e eu sei que ele precisa melhorar nessa matéria que ele tem bastante dificuldade”.

Mas percebam que os professores, por mais que eles te conheçam bem, na sua vida escolar, eles nunca vão te conhecer tão bem quanto o seu pai e a sua mãe que convivem com você desde que você nasceu. Vocês entendem? Então, o anjo da guarda está fazendo essa função de pai e de mãe de vocês. Porque eles, sim, vão conhecer você a fundo. Vão saber dos seus medos, das suas inseguranças, vão saber das suas necessidades, do que você precisa realmente para crescer como espírito. É mais ou menos essa a atuação do anjo da guarda na tua vida.

O anjo da guarda tem a função de te manter na missão, de direcionar você para o caminho reto. Claro que a função de um professor também é essa, né? Mas talvez num grau de comprometimento menor. A função principal de um professor é te ensinar lições. E muitas vezes, lições duras que você vai ter que assimilar para crescer espiritualmente.

Mas o anjo da guarda, ele tem a função, não apenas de ensinar, de orientar, mas principalmente de cuidar de você, de acompanhar o seu crescimento durante todo o período da sua existência como ser humano.

E uma coisa muito interessante, gente, é que o seu anjo da guarda tem uma ascendência moral muito grande sobre os seus guias espirituais. Vocês sabiam? O que o anjo da guarda pede, os seus guias espirituais fazem sem questionar. Para eles, literalmente, o pedido de um anjo da guarda é uma ordem. E isso acontece por dois motivos: Primeiro porque os guias sabem que o seu anjo da guarda te conhecem muito melhor do que eles, afinal de contas, o teu anjo da guarda te acompanha muito antes deles se tornarem guias espirituais. E o segundo motivo, é por causa da superioridade espiritual que o anjo da guarda tem. Ele já está no reino angelical, enquanto os teus guias, por mais iluminados que eles sejam, ainda estão estagiando no reino humano, ainda que seja como espíritos desencarnados. Mas são espíritos desencarnados na condição humana.

Então, gente, na Umbanda, a gente tem um respeito uma devoção muito grande pelo anjo da guarda por causa disso tudo que eu falei. Você que é umbandista e pratica as nossas ritualísticas, você sabe que quando a gente acende uma vela para o anjo da guarda, geralmente, a gente tem o hábito de acender essa vela em um lugar alto, né? De preferência, em um lugar que a vela fique em um nível acima da nossa cabeça. E vocês sabem o por que disso?

Na verdade isso, além de ser uma tradição, tem um efeito psicológico no mental da pessoa que está acendendo aquela vela. É uma simbologia que exprime a ascendência moral que o anjo da guarda tem sobre nós. Quando a gente acende uma vela para o anjo da guarda e coloca essa vela acima da nossa cabeça, É um respeito que nós temos pela hierarquia que esse anjo da guarda já conquistou. Quando a gente coloca a vela num lugar alto, é para lembrar o tanto que a gente tem que elevar o nosso pensamento para conseguir se conectar com ele. Para você se conectar com o teu anjo da guarda, você precisa elevar o teu padrão vibratório. Elevar os teus pensamentos, elevar principalmente os teus sentimentos. E a vela no alto simboliza exatamente isso: a necessidade que nós temos de elevar o nosso espírito.

Então, gente, pela tradição e pelo amor que eu tenho pela Umbanda, sempre quando eu acendo uma vela para o anjo da guarda, eu coloco essa vela em um local mais elevado do que as velas que eu acendo para os meus guias, por exemplo, de preferência acima da minha cabeça.

E lembra que eu estava falando que o anjo da guarda te acompanha desde o início da sua existência espiritual, enquanto que os guias podem mudar de uma vida para outra? Então… antes da gente reencarnar, o que acontece? Existe todo um planejamento pré-encarnatório das experiências que você vai passar na Terra. Não só das experiências como também de eventual missão que você tenha para fazer quando estiver encarnado. O teu espírito assume uma determinada missão antes de reencarnar.

Essa missão pode ser de ajudar outras pessoas, ou de se melhorar como espírito, ou de… sei lá… fazer algo aqui na Terra que deixe a humanidade melhor. Enfim, são várias situações que o teu espírito assume como missão. E dependendo da missão que você assume, você pode chegar para determinados espíritos e pedir para eles assim: “Olha, eu vou ter que reencarnar e eu vou passar por isso, isso e isso… Será que você pode dar uma força para mim para eu não falhar nessa missão?”. Daí, se a Entidade para quem você está pedindo aceita aquela incumbência, ela vai se tornar o seu guia espiritual naquela determinada encarnação. Ou uma única Entidade, ou várias, né? Isso vai depender muito de você, das amizades que você já conquistou do lado de lá.

Percebam que, na maioria das vezes, somos nós que escolhemos os nossos guias espirituais um pouco antes de reencarnar. É um acordo que a gente faz com eles, né? “Olha, eu vou reencarnar, eu vou viver 80 anos na Terra. Eu queria que, durante esse tempo, você me orientasse a tomar a decisão certa, nos momentos de necessidade”. Então, você escolhe os seus guias e faz o pedido.

Com o anjo da guarda é diferente. Não é você que escolhe o anjo da guarda. É ele que este escolhe. Quando você ainda era um ovo espiritual, chegou um determinado anjo da guarda e falou assim: “eu quero este daqui para cuidar”. E ele passa a te acompanhar por toda a tua existência, até você se tornar um anjo também. É lógico que quando você se tornar um anjo, aquele espírito que hoje é o teu anjo da guarda, já vai estar num outro patamar evolutivo. Talvez um arcanjo? Sei lá que nome que a gente daria para isso. Mas seria um reino acima do reino angelical. Porque a evolução do espírito continua, né? A evolução do espírito é infinita.

Aquele que cuida de você hoje sempre vai estar num processo evolutivo mais avançado do que o teu. Não tem essa de você achar “ah, um dia eu vou me igualar à evolução espiritual do meu anjo da guarda”. Não vai! Você vai chegar no patamar evolutivo que ele está hoje. Isso, sem dúvida! Mas quando você chegar lá, o teu anjo da guarda já vai estar muito mais além.

E olha, gente, esse processo evolutivo não tem fim. Não adianta a gente ficar tentando imaginar qual é o grau máximo de evolução que a gente vai conseguir atingir. O grau máximo que a gente consegue imaginar, nessa visão limitada que a gente tem como ser humano, é Deus. Só que Deus é a perfeição infinita, ou seja, por mais perfeito que você se imagine, sempre vai ter uma perfeição superior que você pode almejar. Você entende? É gente! Dá cãimbra no cérebro ficar pensando nisso.

Mas, por enquanto, o que a gente precisa é viver o nosso momento, né? Melhor um pouquinho a cada vida, para ir subindo vagarosamente os degrauzinhos essa escalada evolutiva… Quem sabe, daqui a centenas de encarnações, a gente não se torne guia espiritual de alguém? Já pensou que maravilha? E quem sabe daqui a um milhão de anos, a gente não tenha condições de passar para um reino superior ao nosso? Quem sabe o reino angelical? Ou algum reino intermediário entre o homem e o anjo? Pode ser que isso aconteça… quer dizer, isso vai acontecer, a gente só não sabe quando.

Ah, gente. Eu estava falando das velas para o anjo da guarda, né? Quando você acende uma vela para seu anjo da guarda, além de você colocar essa vela num lugar alto, você tem que rezar nessa vela todos os dias, viu! Não adianta nada você acender uma vela e esquecer que ela existe. Não vai ter conexão nenhuma fazendo desse jeito.

Normalmente, o pessoal acende uma vela branca de sete dias para o anjo da guarda. E todo dia, num horário específico, a pessoa vai lá e faz as preces para o anjo da guarda, diante daquela vela acesa. Eu gosto de colocar essa vela de sete dias num prato transparente e colocar água em volta. Porque a água é um excelente condutor energético, né?

Então, eu rezo na vela de sete dias, acendo ela, firmo ela dentro de um prato com água e coloco num lugar alto. E todo dia, quando eu acordo de manhã, eu vou até a vela e faço as minhas preces matinais para o meu anjo da guarda. Daí, quando a vela acaba, a gente coloca outra.

Tem gente que prefere, ao invés de acender uma vela de sete dias, acender uma vela palito para cada dia da semana. Vai de cada um isso, né? O importante é acender e rezar.

Bom, pessoal, espero que vocês tenham gostado do episódio de hoje. A gente conversou sobre uma visão umbandista de anjo da guarda. Se vocês gostaram do episódio de hoje, continuem acompanhando o podcast. Nós estamos presentes nas principais plataformas de áudio. Você pode encontrar o Alma de Poeta no Spotify, no Deezer, Amazon Music, Google Podcast, Apple Podcast, Youtube e também acessando o nosso site: almadepoeta.com.br

Entrem lá, mandem uma mensagem para mim que eu vou ficar muito feliz. Se vocês preferirem, procurem o Podcast também no Tiktok e no Instagram que a gente sempre coloca alguma coisa legal lá também.

Um grande abraço, meus irmãos e minhas irmãs de caminhada, fiquem com Deus! Que o anjo da guarda de vocês esteja sempre presente nessa jornada espiritual e até o nosso próximo encontro!

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 17
Nenhum número escolhido ainda