Médiuns e Profetas

Ouvir episódio

Teve uma época, na antiguidade, que os médiuns eram chamados de profetas. O velho testamento está cheio de profetas. Mas esse era um fenômeno mediúnico. Aquele ser encarnado atuava como profeta, recebendo as orientações da espiritualidade.

Transcrição do Episódio

Olá, meus irmãos e minhas irmãs de Podcast. Bom dia, boa tarde, boa noite a todos! Como é que vocês passaram ou estão passando mais essa semana abençoada? Espero que esteja todo mundo bem! Bem de saúde, em paz, vivendo as alegrias e os desafios que a vida nos impõe. Como diz uma música do Chitãozinho e Xororó: “O grande sentido da vida é a gente vencer cada dia, como se fosse o maior de todos o prêmios”. É gente! Eu também gosto de música sertaneja! Vocês pensam que eu só ouço ponto de Umbanda? Eu também gosto de ouvir outras músicas. Bom, meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e nesse Podcast a gente fala sobre Umbanda, Espiritualidade, Mediunidade e também sobre as poesias do Pai Antônio.

Eu queria iniciar esse episódio compartilhado com você uma mensagem e uma poesia linda enviada pela Danielle. A Danielle mora na cidade do Rio de Janeiro e entrou em contato comigo um tempo atrás, me passando uma poesia linda que ela recebeu da espiritualidade, inspirada pelo nosso querido Pai Antônio. E eu fiquei emocionado com esse carinho, não apenas da Danielle, mas também dos guias espirituais que aproveitaram a receptividade dela para passar essa mensagem reconfortante.

E eu pedi, não só a autorização da Danielle para divulgar essa poesia, como eu pedi também que ela gravasse, com a própria voz, essa mensagem tão linda que ela recebeu do Pai Antônio. Vamos ouvir a mensagem que a Danielle gravou?

[Áudio da Danielle]

E o meu coração é só gratidão a você, Danielle! Que mensagem linda que você trouxe para a gente! Espero que você continue sendo esse canal mediúnico maravilhoso e que você continue trazendo muitas e muitas mensagens do plano espiritual para confortar o coração de tantas pessoas nesse mundo, pessoas necessitadas de ouvir palavras como essa.

Eu confesso que quando você me passou essa poesia, os meus olhos marejaram. Que o nosso Pai Maior abençoe sempre essa sua boa vontade em ajudar as pessoas e continue a fortalecer esse vínculo espiritual, não só com o Pai Antônio, mas também com todos os seus guias de luz.

É gente! A espiritualidade é isso! Os nossos guias não perdem uma única oportunidade de trazer até nós mensagens consoladoras. E graças ao nosso Pai Olorum, existem pessoas de boa vontade e de bom coração, dispostas a trabalhar em parceria com bem maior. Que nós possamos nos tornar instrumentos dóceis do amor de Deus, contribuindo com o nosso esforço pessoal em prol da coletividade. É só assim que a gente vai deixar esse mundo melhor. Que nós vamos contribuir para que esse mundo passe de um mundo de provas e expiações para um mundo de regeneração. E quem sabe, daqui a alguns séculos, o nosso planeta se torne um mundo regenerado, um mundo feliz.

Gratidão, Danielle, mais uma vez, por você compartilhar com a gente essa mensagem. Bom, dando continuidade aqui, eu queria falar um assunto com vocês… Vira e mexe, a gente toca no assunto mediunidade aqui no podcast, né? E nada mais natural, porque, afinal de contas, esse podcast fala de Umbanda. E quando a gente fala de Umbanda, a primeira coisa que vem na cabeça é incorporação.

Quando as pessoas descobrem que eu sou umbandista, uma das primeiras perguntas que elas fazem é essa: Você incorpora? Você é médium? Porque a mediunidade e a Umbanda andam de mãos dadas. A Umbanda não existira sem a prática mediúnica. Porque quando você vai numa gira, o que você presencia são comunicações ou manifestações do plano espiritual. Espíritos desencarnados que estão utilizando o corpo do médium para passar algum tipo de mensagem ou para fazer algum tipo de tratamento.

Agora, eu disse para vocês que a Umbanda não existe sem a mediunidade. Mas a mediunidade, ao contrário, pode existir sem a Umbanda, sem o Kardecismo, sem o Candomblé. Porque a mediunidade é uma habilidade inata do ser humano que sempre existiu, em todas as épocas da humanidade. Dependendo da época, a mediunidade era conhecida por um termo diferente.

Teve uma época, na antiguidade, que os médiuns eram chamados de profetas. O velho testamento está cheio de profetas. Estou até vendo agora um monte de gente falando “nossa, que blasfêmia, comparar os profetas do velho testamento a médiuns”. Gente, era isso o que acontecia. O fenômeno era mediúnico. Aquele ser encarnado que atuava como profeta, ele recebia orientações da espiritualidade. Ou orientações de Deus, como vocês queiram. Afinal de contas, a espiritualidade de luz trabalha em nome de Deus! E esses espíritos iluminados sempre atuaram em benefício da evolução do ser humano.

Talvez, antigamente, eles se apresentassem como o próprio Deus aos seus médiuns (ou profetas, né). Porque talvez, naquela época, a humanidade ainda não tinha condições intelectuais para compreender a complexidade da vida no mundo astral. A humanidade que viveu há 3.000, 4.000 anos atrás, talvez não tivesse ainda a consciência da vida após a morte. De como é que funciona a coisa. E para simplificar o entendimento, os espíritos iluminados que passavam mensagens para os profetas, diziam que eram o próprio Deus falando.

E olha, gente, isso não diminui em nada a grandiosidade dessas pessoas que viveram como profetas e que trouxeram tanta luz para o nosso mundo. O próprio Jesus atuava como um intermediário dos céus. Ele era o médium divino que recebia a mensagem do Cristo Planetário. E por isso, ele ficou conhecido como Jesus Cristo.

Tem uma corrente espiritualista, inclusive, que fala que Jesus não era o Cristo. Porque o Cristo já é uma consciência que está muito além da nossa compreensão. Mas Jesus, como médium, ou como profeta, foi um dos espíritos mais iluminados que passou por esse planeta, como encarnado, e que tinha condições de receber a mensagem pura e cristalina passada pelo próprio Cristo planetário.

Eu sei… esse é um assunto muito controverso, que gera muita polêmica, inclusive entre os kardecistas, entre os umbandistas. Porque tem gente que não aceita que Jesus não era o Cristo. E elas defendem com unhas e dentes os seus argumentos, porque senão, imagina, né gente? Mais de dois milênios de convicção religiosa iria por água abaixo.

Então, eu penso o seguinte: se você defende a ideia de que Jesus era o Cristo, continue acreditando nisso. Porque realmente a figura dos dois se confunde! Ele era tão puro, tão puro, que nós seres humanos ainda muito longe da evolução, poderíamos considerar Jesus como sendo o próprio Cristo, sem problema nenhum. A distância espiritual que existe, desse mestre ascencionado que veio até a Terra e nós é gigantesca!

Da mesma maneira, se você acredita que os profetas do velho testamento eram mensageiros diretos de Deus, você está certa na sua convicção. Se isso faz bem para sua fé, continua cultivando essa crença! O que eu quero dizer para vocês é o seguinte: (agora pela minha visão… não só minha, mas também a visão de muitos espíritas kardecistas, muitos umbandistas, muitos esoteristas e ocultistas pensam da mesma maneira).

Hoje, no nosso mundo, nós chamamos de médium aquela pessoa que, de alguma maneira, consegue se comunicar com o plano espiritual, consegue conversar com espíritos desencarnados. E como eu disse para vocês, a mediunidade sempre existiu na história do homem, desde a antiguidade até hoje.

As Pitonisas, por exemplo, eram as sacerdotisas que existiam na Grécia, e que recebiam as mensagens dos deuses, mais especificamente de Apolo. Então, o Deus Apolo, na Grécia Antiga, passava as suas mensagens para a humanidade, por meio das Pitonisas.

O próprio império romano, que possuía um panteão de divindades, também usava os seus oráculos para receber as mensagens dos deuses. Entre os povos celtas, existiam os druidas, que eram os sacerdotes daquele povo e que também serviam de intermediários para conversar com os espíritos. No velho testamento, como eu disse para vocês, tinha a figura dos profetas. E hoje existe a figura dos médiuns.

Como vocês podem notar, épocas diferentes, costumes diferentes, povos diferentes, mas o princípio era basicamente o mesmo. Eram as habilidades de comunicação mediúnica que sempre acompanhaam a humanidade.

Vocês já leram na Bíblia aquela passagem? Se eu não me engano é no livro de Joel que fala: “Eu derramarei o meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os velhos terão sonhos e os jovens terão visões.” Isso que a Bíblia falava é mediunidade! Aqui oh. É Joel capítulo 02 – versículo 28.

Enquanto eu procurava essa passagem da Bíblia para falar para vocês, eu estava lembrando de uma música linda, que eu não conhecia, e que foi indicada para mim pela Maria Júlia. A Majú entrou e contato comigo pelo Instagram e entre as mensagens que a gente trocou, ela comentou que gosta muito de uma música espírita que se chama “médiuns”. Essa música é cantada por uma dupla que chama Tim e Vanessa. E realmente, essa é uma música muito bonita, que tem uma letra linda e que fala justamente sobre isso: sobre a mediunidade que os profetas tinham. Eu vou colocar um trecho da música aqui para vocês ouvirem.

[Música – Médiuns]

Não é linda essa música? Hoje médiuns, antes profetas. E se os médiuns se calarem, as pedras é quem falarão! Então, vocês jovens desse mundo, desenvolvam a sua mediunidade, entrem em contato com essa espiritualidade de luz para passar as mensagens que o nosso mundo precisa ouvir. Façam cumprir a profecia que o Profetja Joel nos passou há milênios atrás!

E usem a mediunidade da maneira certa, sempre para passar mensagens positivas, mensagens de amor, palavras de carinho. Porque só assim vocês entrarão em contato direto com os nossos anjos guardiões, com essa espiritualidade evoluída que nos acompanha e que quer o nosso bem.

Não usem a mediunidade para satisfazer interesses mesquinhos, para satisfazer o seu próprio egoísmo ou a sua vaidade. Porque a gente sabe o fim triste que essa história vai ter se vocês agirem dessa maneira.

Vamos trabalhar na luz de Deus, no amor do nosso Pai Olorum que irradia as suas virtudes através dos Orixás Sagrados, nesse Poder que sustenta a força das linhas de trabalho que atuam na Umbanda, nessa espiritualidade que nos orienta e conduz as nossas vidas.

Muitas pessoas entra em contato comigo dizendo que quando pisam num terreiro de Umbanda, sentem uma coisa que nunca sentiram antes, sentem uma energia maravilhosa, se deslumbram com a simplicidade da cerimônia, se comovem com os pontos cantados, com as mensagens passadas pelos guias. Essa é a presença de Deus na Umbanda.

A mesma energia maravilhosa que existe em outras religiões, você também vai encontrar num terreiro de Umbanda. Da mesma maneira que as outras religiões se esforçam para aproximar as pessoas do Sagrado, assim a Umbanda também faz. Mas a Umbanda faz da maneira dela, com os pés descalços no chão, dançando para os nossos Orixás, cantando para os nossos guias espirituais.

Olha só que ponto lindo esse:

[Oxum Minha Mãe]

Essa música se chama Oxum Minha Mãe, interpretada pela cantora Luana Carvalho. Que ritmo gostoso de ouvir, né? “Oxum minha Mãe mandou, Oxum, minha mãe mandou!” É isso aí! Ora ie iê, Mamãe Oxum! Tu mandas e eu obedeço! Mamãe Oxum ordena que eu, como filho de Umbanda, ajude a espalhar o seu amor pela Terrra, que eu ajude a preencher o coração das pessoas com o seu Amor Divino.

Vocês percebem, nesse ponto que tocou, que fala de Oxum e Ogum. Oxum trazendo aquele carinho de mãe, aquele sentimento maternal, abrindo os seus braços acolhedores. E Ogum, por sua vez, trazendo aquela energia paterna, aquela energia mais forte, mais protetora. Ogum trazendo aquela figura de pai severo, que ele não precisa falar nada, ele apenas olha e a gente já entende.

É muito engraçada essa natureza energética que existe da polaridade feminina e masculina, até no ambito dos Orixás, né? As nossas Iabás, elas trazem sempre aquela harmoniosidade maternal. Você sente a energia maternal e acolhedora de Oxum, de Iemanjá, de Nanã, até mesmo de Iansã. Se bem que Iansã, ela tem aquela característica meio de mãe-leoa, né? “Não mexe com meu filho, senão eu vou sentar a mão na tua cara”. A energia de Iansã é essa! Mais impetuosa! Mas mesmo assim, não deixa de trazer também aquela amorosidade feminina.

Agora, os Orixás masculinos, eles já trazem uma energia totalmente diferente! Pela, por exemplo, Ogum, Oxóssi, Xangô. Esses são Orixás que andam armados. Armados, assim, no sentido figurado da coisa. Mas a energia deles é uma energia mais aguerrida. Eles partem para a luta e incentivam o seus filhos a fazerem a mesma coisa. “Vamos lá, meu filho! O que você está fazendo corpo mole aí? Pega as suas coisas e vamos embora, enfrentar os desafios da vida”.

Então, os Orixás masculinos nos impulsionam a enfrentar os problemas, a vencer os obstáculos que aparecem na nossa caminhada. Olha só que ponto lindo que eu vou colocar agora para tocar:

[Música – Vencedor de Demandas]

Essa música se chama “Vencedor de Demandas” e é cantada pelo Sandro Luiz. Linda essa canção, né? Linda demais! Então, vocês percebem pela letra, né? Punhal na mão, escudo, arrebentar pedreiras. Olha só a energia dos Orixás, que por meio de uma simbologia, nos convidam para lutar as batalhas da vida!

Você quer trabalhar na Umbanda? Você quer trabalhar para o bem? Então tenha certeza que você vai enfrentar muitos desafios. Os dirigentes de terreiro que o diga! Nós somos colocados à prova todos os dias, toda semana! Não é porque você vira médium e começa a receber mensagens do plano espiritual, que a sua vida vai ficar mais fácil, que os seus problemas vão acabar. Muito pelo contrário, você está assumindo responsabilidades.

E com a responsabilidade, vem as dificuldades. Como o Pai Antônio diz: se fosse fácil subir uma montanha, todo mundo conseguiria. Não haveria mérito para isso. Mas o que acontece é que só os mais fortes conseguem chegar até o topo da montanha. E a escalada fortalece o espírito. Enfrentando os desafios e os problemas da vida, vocês estão se fortalecendo para voltar para o plano espiritual em melhores condições.

Então, gente, vamos aproveitar essa encarnação para nos elevarmos, como espíritos, o mais alto que a gente conseguir. Vamos tentar incorporar na nossa vida as virtudes que os nossos guias espirituais tentam nos transmitir com tanta paciência, com tanto amor! E a Umbanda está aí para isso, para servir como bússola para a gente não se perder na caminhada.

Bom, espero que vocês tenham gostado do episódio de hoje. Como muitos de vocês já perceberam, eu diminui um pouquinho a frequência de postagens dos episódios. Agora eu estou postando uma vez por semana. De vez em quando, quando dá, eu posto duas vezes na semana. Porque eu também tenho que enfrentar os problemas da minha vida, né? E muitas vezes, esses obstáculos que aparecem não permitem que eu grave o Podcast com a frequência que eu gostaria.

Por mim, eu gravaria todo dia, porque eu amo fazer isso. Só que eu não vivo da Umbanda. Eu não ganho dinheiro com esse Podcast, ao contrário do que muita gente pensa, e eu também não quero ganhar dinheiro em cima da religiosidade dos outros. Então, para eu conseguir manter esse projeto que eu faço aqui de gravar episódios, eu preciso conseguir recursos de outra forma. E graças a Deus, o trabalho do mundo me permite que eu possa oferecer para vocês um tempinho da minha vida e direcionar alguns recursos para manter o site do Alma de Poeta no ar e conseguir falar sobre espiritualidade.

Então, me perdoem se eu não consigo oferecer para vocês hoje, mais do que eu gostaria. Quem sabe futuramente, né, eu consiga dedicar um pouco mais de tempo para gravar mais conteúdo falando sobre Umbanda.

Se vocês estão gostando desse trabalho que eu estou fazendo com o podcast, continuem prestigiando o Alma de Poeta, ouvindo os episódios, compartilhando com outras pessoas. Me ajudem a desmistificar um pouco essa religião tão mal compreendida na nossa sociedade. Eu tento disponibilizar o Alma de Poeta no máximo de plataformas possíveis para vocês terem um acesso fácil. Vocês podem ouvir o podcast no Spotify, no Deezer, no Amazon Music, Google Podcast, Apple Podcast, Youtube. Se vocês quiserem, podem acessar alguns trechos dos espisódios no Instagram, no TikTok. Ou então, a maneira mais fácil é acessando diretamente o nosso site: almadepoeta.com.br.

Agora está mais fácil de vocês entrarem em contato comigo, né? Vocês podem entrar em contato pelas redes sociais e também mandando uma mensagem diretamente pelo site. Eu aguardo ansiosamente o contato de vocês, eu fico sempre muito feliz de receber o retorno e o carinho das pessoas que ouvem o Podcast.

Fiquem com Deus, meus irmãos e minhas irmãs de caminhada! Que o nosso Pai Oxalá os abençoe e até o nosso próximo encontro.

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 13
Nenhum número escolhido ainda