O Orixá Ogum e a Guerra

Ouvir episódio

Ogum é considerado o Orixá da Guerra. Só que a gente tem que entender que Ogum acabou sendo relacionado como o Orixá da Guerra por uma razão simples: acima de tudo, Ogum é o senhor do aço, o senhor do ferro.

Transcrição do Episódio

Olá, minha família espiritual! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Que todo mundo esteja se fortalecendo na fé, nesse momento conturbado que o nosso mundo está passando, com a iminência de uma guerra generalizada na Europa. Que nós possamos irradiar pensamentos de equilíbrio, sentimentos de bondade, para que esse conflito não se torne ainda pior. Hoje, eu estou gravando um episódio com o coração apertado, triste pelas vítimas desse conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Eu peço que os nossos Orixás deem sabedoria para que os dirigentes desses dois países possam revolver as suas diferenças de uma maneira pacífica, sem precisar sacrificar mais vidas, sem precisar derramar mais sangue, sem deixar o ambiente astral desse planeta ainda mais desequilibrado. Meu nome é Evandro Tanaka, eu sou médium umbandista e esse é o Podcast Alma de Poeta, onde a gente fala de Umbanda, Espiritualidade, Mediunidade e também sobre as poesias do Pai Antônio.

Esses dias, assistindo essas notícias de conflitos armados, de guerra, eu estava lembrando de uma mensagem que o nosso saudoso Chico Xavier deixou aqui na Terra, uma mensagem passada pelos espíritos. Se eu não me engano, o Chico Xavier falou um pouco sobre esse assunto num programa antigo que passava na TV Tupi. Isso lá pelos idos de 1971. Naquela época, o mundo passava pela chamada “Guerra Fria”, né? E o Chico já demonstrava preocupação com uma possível guerra nuclear entre os países. Eu fiquei sabendo que, nos dias em que ele foi entrevistado, esse programa, o Pinga-Fogo, bateu recordes de audiência. Todo mundo parou para assistir o médium Chico Xavier falar.

E o Chico falou sobre vários assuntos, ele respondeu a diversas perguntas de jornalistas, de estudiosos. Inclusive, dá até para assistir esse programa no Youtube, se você tiver interesse, no formato original em que foi gravado. É muito interessante, gente, o que o Chico Xavier falou.

Mas na verdade, me parece que o Chico esmiuçou mais esse assunto da preocupação com uma possível guerra nuclear, quando ele conversou com um rapaz, em 1986, chamado Geraldo Lemos. E muitos anos mais tarde, em 2011, esse Geraldo Lemos revelou a conversa que ele teve com Chico Xavier. Eu vou ler para vocês aqui as palavras que o Chico Xavier teria dito a ele naquela ocasião. Vamos lá! As palavras do Chico foram as seguintes:

“O Nosso Senhor deliberou conceder uma moratória de 50 anos à sociedade terrena, a iniciar-se em 20 de julho de 1969 (que foi a data em que o homem pisou na lua) e, portanto, a findar-se em julho de 2019. Ordenou Jesus, então, que seus emissários celestes se empenhassem mais diretamente na manutenção da paz entre os povos e as nações terrestres, com a finalidade de colaborar para que nós ingressássemos mais rapidamente na comunidade planetária do Sistema Solar, como um mundo mais regenerado, ao final desse período. Algumas potências angélicas de outros orbes de nosso Sistema Solar recearam a dilação do prazo extra, e foi então que Jesus, em sua sabedoria, resolveu estabelecer uma condição para os homens e as nações da vanguarda terrestre.

Segundo a imposição do Cristo, as nações mais desenvolvidas e responsáveis da Terra deveriam aprender a se suportarem umas às outras, respeitando as diferenças entre si, abstendo-se de se lançarem a uma guerra de extermínio nuclear. A face da Terra deveria evitar a todo custo a chamada III Guerra Mundial. Segundo a deliberação do Cristo, se e somente se as nações terrenas, durante este período de 50 anos, aprendessem a arte do bom convívio e da fraternidade, evitando uma guerra de destruição nuclear, o mundo terrestre estaria, enfim, admitido na comunidade planetária do Sistema Solar, como um mundo em regeneração. – E o Chico continuou falando: “Nenhum de nós pode prever, Geraldinho, os avanços que se darão a partir dessa data de julho de 2019, se apenas soubermos defender a paz entre nossas nações mais desenvolvidas e cultas”.

E daí, o Geraldo Lemos ficou curioso sobre o quê poderia acontecer, caso a humanidade não conseguisse evitar o conflito nuclear e perguntou para o Chico o que poderia acontecer com o mundo. E o Chico respondeu assim:

“Ah, Geraldinho, caso a humanidade encarnada decida seguir o infeliz caminho da III Guerra Mundial, uma guerra nuclear de consequências imprevisíveis e desastrosas, aí então a própria Mãe Terra, sob os auspícios da Vida Maior, reagirá com violência imprevista pelos nossos homens de ciência. O homem começaria a Terceira Guerra, mas quem iria terminá-la seriam as forças telúricas da natureza, da própria Terra, cansada dos desmandos humanos, e seríamos defrontados, então, com terremotos gigantescos; maremotos e ondas consequentes; veríamos a explosão de vulcões há muito extintos; enfrentaríamos degelos arrasadores que avassalariam os polos do globo com trágicos resultados para as zonas costeiras, devido à elevação dos mares; e, neste caso, as cinzas vulcânicas associadas às irradiações nucleares nefastas acabariam por tornar totalmente inabitável todo o Hemisfério Norte de nosso globo terrestre”. Foi essa a resposta que o Chico Xavier deu.

Bom, gente, o fato é que esse assunto acabou virando um documentário chamado “Data Limite segundo Chico Xavier” que foi lançado, no Youtube, em 2014 e já teve quase 10 milhões de visualizações, em sete anos. Depois, também, foi lançado um livro, em 2016, falando sobre esse assunto da Data Limite.

Bom, a data limite de 50 anos, a que o Chico se referia, já passou, mas ainda assim, o mundo permanece sob a ameaça de uma Terceira Guerra Mundial, ainda mais agora com esse conflito armado que está acontecendo na Europa, entre a Rússia e a Ucrânia.

E esses dias, eu recebi uma poesia do Pai Antônio que fala exatamente sobre esse assunto, sobre essa Guerra que está acontecendo. Quando eu recebi a poesia, eu senti a presença do Pai Antônio, mas de uma maneira muito triste, muito preocupada. Eu comecei a escrever os versos e eu comecei a sentir toda a angústia daquelas palavras, na irradiação do sentimento que o Pai Antônio me passava. Eu gostaria de compartilhar essa poesia com vocês esses versos:

A GUERRA

Meus filhos bem amados,
Deste planeta abençoado
Que oferece a existência.

Eu venho deixar um recado,
Dos espíritos abnegados,
Que nos trazem a sapiência.

Eis que o mundo agoniza,
Enquanto a tirania pisa
Nos desafortunados da Terra.

Precisamos buscar o amor,
Para mostrar o real valor,
Para aquela nação que erra.

Hoje vemos com preocupação
E com muita dor no coração
As batalhas ensandecidas.

Quando mentes desequilibradas,
Envolvidas em nuvens pesadas
Realizam missões fraticidas.

Preto-velho só quer a paz,
Do sentimento que satisfaz
Da alma quando busca a luz

O que realmente importa,
Nessa caminhada torta
É o ensinamento de Jesus.

Ah, se os filhos soubessem
Da tragédia que acontece
Quando matamos nosso irmão.

Porque depois de desencarnado
Aquele assassino malvado
Não encontra paz no coração.

Vamos elevar nossa sintonia,
Para melhorar o nosso dia
E com Zambi nos conectar.

Vamos cultivar a harmonia,
Para que toda aquela tirania,
Um dia possa se dissipar.

Preto-velho vai no terreiro,
Pedir que o amor verdadeiro
Possa no coração entrar.

Pra que as pessoas desse mundo
Sintam o carinho profundo
Que vem da paz de Oxalá.

Que a ambição desregrada
Não possa fazer morada
Agravando o vosso karma.

Não deixem que a ambição
Aponte como única solução
As mãos que seguram em armas.

Preto-velho, de coração aflito
Pede a esses filhos queridos
Pra formar uma corrente de amor

Para que a vossa mente alinhada
Com a espiritualidade elevada
Se conecte ao Pai Criador.

Vamos lutar, mas não com armas
E sim para enxugar as lágrimas
Das pessoas que sofrem na Terra

Vamos agir na verdadeira batalha
Matando a ambição que atrapalha
E fazendo encerrar essa guerra.

Essa é uma poesia que me tocou fundo, me fazendo refletir sobre os desmandos que ainda acontecem na Terra, por conta de atitudes egoístas de cobiça, de ambição… Nessas horas, a gente vê como a natureza do ser humano ainda é primitiva, não é verdade?

A maioria da humanidade terrestre ainda está naquela fase de lutar por mesquinharias, lutar por territórios, lutar por poder… como se isso fizesse alguma diferença para o bem estar do espírito depois de desencarnado. Quanta ilusão! As pessoas matam umas às outras por coisas completamente sem sentido! Nessas horas, nós vemos como a humanidade ainda é animalizada com instintos de dominação, nessas horas, nós vemos o quanto nós ainda precisamos evoluir como espíritos! Quanto sofrimento, quanta dor está sendo inflingida, não só na Guerra da Rússia contra a Ucrânia, mas também nos conflitos que estão acontecendo na África, no Oriente Médio.

Eu peço todos os dias aos nossos Orixás Sagrados, à espiritualidade superior, que traga o discernimento para que as nações do mundo possam se amar, umas às outras. Que nós possamos ver as pessoas de outras raças, de outras culturas, com o mesmo amor, com o mesmo carinho com que nós vemos os nossos familiares. Porque, no final das contas, nós fazemos parte de uma grande família… a Família Humana! Nós somos filhos do mesmo Criador. Não existe razão, não existe motivo para que nós nos odiemos. Nada justifica a agressão, nada justifica tirar a vida de outra pessoa por cobiça.

Hoje, esse episódio está servindo mais como um desabafo, da minha parte, dessa preocupação que o Plano Espiritual está tendo com essa energia pesadas que está se formando no hemisfério norte.

Me fizeram um pergunta esses dias, pelo e-mail do Podcast, muito interessante. O Alexandre, de São Paulo, escreveu para mim perguntando o seguinte: Bom, dizem que Ogum é o Orixá da Guerra, né? Então, qual é a influência que ele tem nas guerras entre os homens? Por exemplo, qual é o papel de Ogum nesse conflito que está acontecendo entre a Rússia e a Ucrânia?

Eu confesso para vocês que essa foi uma pergunta que me deixou muito pensativo… Eu tive que me recolher em reflexões, tive que me conectar com os meus guias para tentar buscar uma resposta para esse questionamento…

Realmente, Ogum é considerado o Orixá da Guerra. Porque Ogum traz a impetuosidade, a coragem, a valentia. Só que a gente tem que entender que Ogum acabou sendo relacionado como o Orixá da Guerra por uma razão simples: acima de tudo, Ogum é o senhor do aço, o senhor do ferro. Porque esse é o elemento principal de Ogum, né? O aço e o ferro!

Só que se a gente parar para pensar, o aço e o ferro podem ser usados, tanto para fins pacíficos quanto para fins bélicos. Você pode pegar o ferro e construir um trator para ajudar a arar a Terra, para ajudar a produzir alimentos; ou você pode pegar esse mesmo ferro e construir um canhão para matar pessoas, construir armas.

Percebam que o elemento do Orixá pode ser usado tanto para o bem quanto para o mal. Somos nós que direcionamos, através da nossa vontade, das nossas escolhas, a energia que vai ser empregada com a utilização de um determinado elemento.

A Umbanda Sagrada de Rubens Saraceni fala muito disso, né? Ela fala que existem os Orixás Cósmicos e os Orixás Universais… Os Orixás Universais servem para irradiar a energia de Deus, enquanto que os Orixás Cósmicos servem para absorver o excesso das energias desequilibradas.

Bom, eu não sou muito adepto da teoria da Teoria de Rubens Saraceni, com relação a isso, de que existem determinados Orixás Cósmicos enquanto outros Orixás são Universais. Mas, por outro lado, eu tenho uma visão muito parecida. Essa é uma visão particular minha, tá, que vocês não vão encontrar em nenhum livro. A não ser que eu escreva um livro a respeito disso, né?

Eu sou da opinião de que uma mesma irradiação divina, que nós chamamos de Orixás, pode atuar nas duas polaridades (tanto positiva quanto negativa, tanto ativa quanto passiva). Então, pelo meu ponto de vista, o Orixá Ogum, por exemplo, pode estar presente na guerra (absorvendo os excessos negativados do ser humano), como também pode estar presente na agricultura, irradiando a energia divina para o progresso.

Aliás, pessoal, Ogum está muito relacionado com o avanço da tecnologia. Vocês sabiam disso? Todo avanço tecnológico que aparece é conduzido pela energia de Ogum. É ele que faz o mundo se desenvolver. Porque o avanço tecnológico está muito relacionado à manipulação dos metais, né? Sem o domínio de elementos metálicos, não haveria o progresso tecnológico que existe nos dias de hoje. Então, isso a gente deve à irradiação de Ogum.

Claro que, se você usar o Poder de Ogum da maneira errada, os elementos metálicos vão acabar servindo para a construção de armas. Mas esse é um aspecto negativado, distorcido pelo ser humano, que não condiz, absolutamente em nada, com a bondade desse Orixá. Ogum, assim como todos os demais Orixás, quer acima de tudo, a evolução da humanidade. E a humanidade não evolui por meio da guerra, e sim por meio do avanço tecnológico.

Mas daí, algumas pessoas podem dizer assim: “É… mas são nos momentos de guerra que ocorrem os maiores avanços tecnológicos”. Sim! Eu concordo com isso. Muitas das comodidades que nós temos hoje são provenientes de tecnologia militar. Vocês sabiam disso? A própria internet é fruto de pesquisa militar.

Mas eu, na minha ingenuidade, gosto de acreditar que a humanidade não precisa de guerras para evoluir. A gente consegue evoluir pacificamente, nos ajudando uns aos outros. E não construindo armamentos para matar os nossos irmãos. Não sei… talvez eu esteja sendo excessivamente ingênuo com essas ideias. Talvez a nossa humanidade ainda não esteja num patamar evolutivo para conseguir se desenvolver pacificamente.

Ainda existe um espírito belicoso muito grande dentro da gente, né? A violência ainda é muito latente dentro do ser humano. Mas eu tenho fé de que isso, um dia vai mudar. E nesse dia, a gente vai olhar para Ogum, lembrando dele, não como o Orixá da Guerra, mas o Orixá do avanço, o Orixá do desenvolvimento, o Orixá que faz melhorar a nossa vida por meio das modernidades tecnológicas. Esse é o meu desejo, essa é a minha fé.

Mas, vamos lá, pessoal! Para terminar o episódio de hoje, vamos falar sobre um assunto mais alegre!

Ontem saíram os números do sorteio da nossa Rifa Solidária, pela extração da loteria federal. E os números sorteados foram 76 e 74. E adivinha só que foram os ganhadores? Na verdade, não teve ganhadores, teve uma única ganhadora. A sortuda comprou os dois números que foram sorteados. A ganhadora das duas canecas foi Ana! Ana Maria de São José dos Campos. Parabéns, Ana, você vai receber as duas canecas do Alma de Poeta, sem custo nenhum, pelos correios.

E eu agradeço muito a participação de todos vocês. A contribuição que vocês deram, a doação que vocês fizeram vai ser muito importante para fazer a diferença na vida dessas pessoas que moram em situação de rua.

Depois eu vou fazer no site uma prestação de contas, informando para vocês, certinho, o tanto que foi arrecadado e o tanto de despesa que a gente teve para comprar os alimentos para distribuir. Mas, eu adianto para vocês que a gente teve uma arrecadação bruta de R$ 494,97 (já descontando as taxas do mercado pago). E esse vai ser o valor utilizado para a gente reverter em alimentos para os nossos irmãos sem teto.

Eu sei que não é muito, mas é um começo, né gente? De pouquinho em pouquinho, a gente vai tentando ajudar essas pessoas.

Bom, espero que vocês tenham gostado do episódio de hoje, espero que vocês tenham refletido sobre a poesia do Pai Antônio falando sobre a guerra que está acontecendo. A espiritualidade de luz está muito preocupada com reflexos que essa insanidade pode causar no mundo. E a gente tem que fazer a nossa parte, né? De conscientizar as pessoas da necessidade de manter a paz, de manter os sentimentos equilibrados. É muito importante a gente manter o nosso pensamento elevado nesse momento delicado que o mundo está passando.

E para terminar esse podcast, eu quero colocar um ponto para tocar, uma música, na verdade, né? Uma música linda cantada por Maria Bethania e Ivete Sangalo. A música se chama “Muito Obrigado, Axé”.

[Música – Muito Obrigado Axé]

Joga as armas para lá! Vamos jogar as armas para lá! Permita, meu Pai Ogum, que nós possamos trabalhar na sua energia de uma maneira positiva, de uma maneira pacífica, de uma maneira construtiva para a nossa sociedade, para o nosso mundo.

E continuem acompanhando o nosso Podcast nas principais plataformas de áudio. Você pode acompanhar o Alma de Poeta pelo Spotify, pelo Deezer, pelo Amazon Music, Google Podcast, Apple Podcast e também acessando o nosso site: almadepoeta.com.br. Lá vocês vão conseguir ouvir todos os nossos episódios. Por lá vocês também conseguem entrar em contato comigo, mandar uma mensagem, tirar dúvidas, mandar sugestões. Eu fico muito feliz quando recebo um feedback de vocês.

E mais uma vez eu parabenizo a Ana, de São José dos Campos, a ganhadora da nossa Rifa Solidária. E agradeço também o Alexandre de São Paulo, pelo excelente questionamento sobre Ogum e a Guerra. Foi uma comunhão de pensamentos, né Alexandre? Na mesma semana que você mandou esse questionamento, eu recebia a poesia do Pai Antônio, falando sobre o mesmo assunto. Daí, eu não podia deixar de gravar essa mensagem para vocês.

Um grande abraço, meus irmãos, minhas irmãs. Fiquem com Deus. Que o nosso Pai Ogum nos traga a força necessária para travarmos a pior guerra que existe, para enfrentar o nosso pior inimigo, que somos nós mesmos. Enfrentarmos a nossa insensatez, a nossa ignorância para poder evoluir.

Gratidão a todos e até o nosso próximo encontro!

Deixe seu comentário

Mais deste assunto

Episódio 1
Nenhum número escolhido ainda